ANOTAÇÕES DA BÍBLIA

culto de bebe - Criança uma pipa nas mãos

culto de bebe - Criança uma pipa nas mãos

 


    
 

    • POR :LAMIR SIMÕES DE ALMEIDA THOPSON, 
      ESTA ORDEM DO CULTO -
       Palavras Explicativas - Sobre o Culto do Bebé - 

      Hino - Amor no Lar - (Antologia do Lar Cristão - UFMBB) - 

      Leitura Bíblica - Salmo 127 - 
      Oração -
       Mensagem: Criança... uma pipa nas mãos! - 
      Hino - 529 CC - 
      Agradecimentos - 
      Encerramento Orientação - Providenciar com antecedência uma pipa ou papagaio. Esta deverá ser feita com tecido fino e de cor suave. Flores miúdas enfeitarão a partesuperior da pipa. Uma carretilha de madeira ou plástico (usada nos armarinhos na venda de fi¬tas e rendas). Um carretel de linha. Rabiola colorida feita com fita de cetim de várias cores. Serão usados sete pedaços (30cm cada) de fita de 2 a 3cm de largura. Fixar na parte inferior (onde vai ser colocada a rabiola) um elo de fita menor. Os demais elos serão presos (fita adesiva, pedacinhos de velcrom 
      ou grampeador) a este, no decorrer do programa


Como Fazer o Programa
1. Durante a programação, apipa será montada (o corpo já estará pronto).

2. Distribuir com antecedência os tópicos e as fitas da rabiola,minutos antes do programa.

3. Entregar a pipa à mãe como lembrança do Rol dos Bebés

PROGRAMADirigente - Quando os filhos são pequenos, inúmeras vezes tentamos junto com eles fabricar uma pipa ou papagaio, para que possam brincar e se divertir. Temos o material necessário para fabricá-la: varetas de bambu, papel de seda de várias cores, linha, cola, tesoura e um carretel onde vamos enrolar a linha para empiná-la. Todo o material está junto diante de nós, e isto pode parecer, a quem observa, que dali saíra uma bela pipa, mas não diz ao observador que está pronta para ganhar as alturas. Depois de algumas horas de trabalho, surge uma colorida pipa com uma grande rabiola, com a quantidade de linha suficiente para que vá bem alto. Chegou a hora do teste. Depois de várias tentativas, notamos que não consegue subir. Começamos então apensar: O que está faltando para que isto aconteça? Quase sempre, após muitas considerações, a conclusão é de que NÃO SABEMOS FAZER A PIPA CERTA, apesar de ter nas mãos aquela que parece estar perfeita. Compreendemos então que :
1 -a curvatura das varetas do centro precisam ser colocadas no devido lugar.
2 - Que as linhas que se cruzam no interior da pipa devempossuir o tamanho certo.
3 - A rabiola não pode serpequena e nem comprida demais.Depois destas constatações, chegamos a outra conclusão: que para empinar a pipa, alguns pontos fundamentais devem ser observados e obedecidos.
a) Não pode ser empinada em qualquer dia, pois necessita de vento. Não um vento qualquer,mas o vento certo.
b) Quando está no alto, deve ter a quantidade de linha suficiente para alcançar o seu vão majestoso.
c) Mas a lição mais importante se aprende praticando. Não se pode dar linha em demasia e nem tentar retirá-la de modobrusco, de um só golpe. Sabem por quê? A linha se parte, arrebenta e perdemos a pipa construída com carinho, dedicação e amor. Por que comparar os filhos à confecção e uso da pipa? Porque para fabricá-la gastamos vários materiais e o tempo usado foi longo. A dedicação,a confiança, a sabedoria e a paciência foram testadas com a finalidade de aprender a técnica perfeita para fazê-la alcançar voo. No final, vê-la no rumo certo é recompensador, (nome da mãe), com os filhos acontece exatamen-te a mesma coisa. Podemos pensar que somos, ou talvez sejamos mesmo, uma boa mãe, mas se certas atitudes não forem cultivadas na vida da mãe e transmitidas para a dos filhos, eles poderão arrebentar a linha e se sentirão perdidos, desamparados, desprotegidos, sem rumo, sem um caminho para trilhar com firmeza e segurança. Hoje, (nome do bebé), está aqui. Foi fabricado com o melhor material existente no mundo - o amor). Agora, como a pipa, espera o momento certo para levantar voo em dire-ção ao futuro. Para que este seja perfeito ou quase perfeito, a mãe necessita sentir, conhecer e aprender estas atitudes, pois serão necessárias à vida e também responsáveis pela formação física, moral, intelectual, emocional e espiritual do filho. Vamos conhecê-las?

A - Corpo da Pipa - Gratidão (entregar à Dirigente) Lucas .1-46-47-49.
O que representa o nascimento de um filho? Alegria? Tristeza? Ansiedade? Decepção? Mais um para criar? Estas interrogações aparecem na mente dos pais a todo o momento, diante das centenas e cente¬nas de bercinhos, ricos ou po¬bres, espalhados pelo mundo. Mas a Palavra de Deus nos diz que devemos ser gratos pelo te¬souro recebido. Gratidão é a primeira atitude que devemos cultivar. Precisamos agradecer a Deus, como mães, a chegada de uma criança no lar. Sabemos que é difícil agir desta maneira diante de tantas dificuldades que nos rodeiam. Observando e analisando a resposta de Maria, sentimos que Deus está dando a cada pai e mãe um grande privilégio que é o de construir e trabalhar uma vida. Olhando o brinquedo pronto, sentimos que foi trabalhoso, que muitas horas foram gastas e até mesmo dias, entre erros e acertos para fazer o corpo da pipa; e certamente será assim com a vida do filho que chegou. Devemos sentir alegria, afas¬tar a ansiedade e ver nela uma promessa para o futuro cheia de grandes possibilidades. Você, mãe, é o instrumento que Deus usará para completar sua criação. Seja grata a ele por esta concessão especial.


B - Linha -Ensino
(amarrar no centro da pipa) -Timóteo 1.5
Ensinar é instruir. A Bíblia diz que devemos intruir o menino na lei do Senhor. Adverte para en¬sinar o certo e o errado; mas nos manda criar nele um profundo amor a Deus e ao mesmo tempo mostrar e falar ao filho do amor de Deus por ele; gravar no seu coração que esse amor jamais fa¬lhará e nem desaparecerá. Temos esse exemplo em Timóteo. Sua mãe Eunice e sua avó Lóide en¬tenderam os ensinamentos de Deus e os colocaram em prática. Desde muito cedo instruíram o pequeno Timóteo na lei do Se
nhor. A linha que corta a pipa nos dois sentidos é que dá estabilidade necessária a ela. Sem esta, perderia o RUMO. A lnha que manterá os filhos no caminho certo é o ensino cons¬tante da lei de Deus, que produzirá para o futuro jovens fortes e firmes na fé, para honra e glória do Senhor.

C - CarretelDisciplina (amarrar a linha no carretel) Prvérbios 29.15.17)
Disciplina é en¬sinar. Toda criança precisa de disciplina conforme lemos em Provérbios. Corrigimos os filhos porque os amamos e queremos vê-los felizes e responsáveis, an¬dando no caminho que agrada ao Senhor. A disciplina envolve o ensino de certas atividades que não admitem discussão, como as que normalmente são realizadas pela criança no lar, na igreja, na escola e na sociedade. No mundo de hoje vemos a todo o momento a falta de respeito para com os pais, professores, pessoas idosas, porque as crianças querem fazer o que lhes convém. Isto reflete a falta de autoridade dos pais sobre os filhos, porque o princípio dorespeito começa no lar.
Para voar com segurança, a pipa necessita do carretel para controlar e firmar a linha. Sem esse controle, ela pode não levantar voo ou simplesmente voar demais e se perder. Com o filho também é assim. A disciplina não é uma experiência feliz para a criança, mas necessária. É através dela que a criança aprende a julgar sua própria conduta; a enfrentar os problemas da vida e a aumentar o seu conhecimento. Temos certeza de que uma disciplina sadia é aquela ministrada com amor. Uma disciplina com amor é um amor com disciplina.

D - Rabiola - Sabedoria:
Provérbios 3.13;21-22 (Provérbios na Linguagem de Hoje).
Dirigente - Não é fácil a tarefa de construir uma vida, e educar uma criança é muito mais do que criar. Os alicerces desta construção são lançados e estruturados na infância e por isso devem ser firmes e profundos. Nós apren¬demos no início que a pipa precisa de uma rabiola para voar. Como a pipa, um dia os filhos deixarão o lar para iniciar seu voo e terão que ter as condições necessárias para fortificar-se a fim de enfrentar o mundo. Essa for¬ca virá por meio de qualidades básicas que devem ser conservadas ao criar os filhos. Mãe, os elos que irão formar a rabiola da pipa mostrará como transmitir esse conhecimento.

1° Elo - AMOR -(verde) (colocar o elo no corpo da pipa, fechar começando a formar a rabiola).
Ame o filho a todo o momen¬to, porque o amor transmite segurança. O amor, mãe, é algo concreto e que se cultiva, e ao longo dos anos ele vai se desenvolvendo. Amar é mais do que simplesmente dizer que ama; deve ser demonstrado através da ação. Amar é compreender o filho; é elogiar no momento certo; aconselhar e corrigir quando necessário; mas é também aca¬riciar, abraçar, brincar junto, compartilhar as alegrias e as tris¬tezas. O amor, portanto, é algo que surge dentro do coração da mãe a todo o instante, em direção ao alvo que é a pessoa ama-
da-o filho. Ame seu filho, pequeno ou crescido, porque amar é recomendação divina.

2° Elo - FÉ (branco)
- Ensine a Fé ao filho. Paulo, escrevendo a Timóteo, recorda a fé sincera e firme que habitava o coração do jovem, e também menciona a influência positiva de duas gerações anteriores- a ele - mãe e avó. Essas cultivaram, ensinaram e desenvolverama fé em sua vida. Toda mãe anea ver os filhos convertidos e inegrados na igreja. Mas não basta querer, é preciso trabalhpara que isto aconteça, e a ma
neira de conseguir é ensinar a fé.
Muitos lares estão falhando quando deixam esta responsabilidade com a igrejapastor, professores da EBD ou líderes de organização, achando que cabe a
eles o ensino da Fé. A Palavra de Deus nos ensina em Deuteronômio 6 que cabe aos pais o ensinamento e transmissão da vida religiosa, aos filhos. Para ensinar
a fé, mãe, é preciso ter fé

3° Elo - ORAÇÃO
- (vermelho) - "Não há nada que nos faça amar tanto uma pessoa quanto orar por ela"
(William Law). A mãe que ama verdadeiramente o filho demonsra esse amor orando com o filho e pelo filho. A oração é o maior poder que existe sobre a terra, e a mãe amorosa deve cultivar esta comunhão íntima com o Senhor diariamente, para que
o filho possa compreender o valor da oração e da confiança em Deus. Ele entenderá que a oração não é uma obrigação ou uma imposição, mas que é um anseio; é comunhão; é uma necessidade da alma pela presença do Pai. Mãe, ensine que Deus é um pai que nunca se ausenta; ensine que ele está sempre perto; que nunca dorme; ensine que Deus respon¬de as orações Qeremias 33.3).

4° Elo - LEITURA DA BÍBLIA (azul claro) - "...Ensina-nos o que devemos fazer ao menino que há de nas¬cer...". A resposta está em Pro¬vérbios 22.6. Toda criança pre¬cisa conhecer a Bíblia como a Palavra de Deus; deve aprender a amar a Bíblia e reconhecer que é por intermédio da leitura que Deus fala, orienta e ensina. A mãe deve iniciar bem cedo os ensinamentos bíblicos na vida do filho, porque são estes que le¬varão o filho no futuro, na ida¬de própria, a conhecer o Senhor Jesus como Salvador e Senhor. Portanto, mãe, medite dia e noi¬te na Palavra de Deus, ela dá sabedoria. Cremos que Deus tem um caminho certo para cada fi¬lho, e esta sabedoria se torna essencial para ajudar o filho a encontrar esse caminho.

5° PACIÊNCIA (amarelo) - Não é fácil ser paciente em determinadas situações e com autoridade a Palavra de Deus e do Senhor" (Ef 6.4). Quando a criança fica zangada e rebelde, a mãe precisa ter amor, paciência, calma e persistência
A ordem para o filho deve ser dada com voz baixa, calma e terna, e repetidas tantas vezes quantas forem necessárias, até que seja obedecida. Toda mãe precisa cultivar na criança o há-bito de obedecer, porque a obediência gera a sobrevivência. Se com firmeza não conseguir fazer-se obedecer, uma correção certamente deve ser usada. A mãe precisa ter paciência, mas ao filho cabe reconhecer que deve ser obediente. Esta também é uma recomendação divina.

6° Elo - EQUILÍBRIO (lilás) - Equilíbrio é harmonia. A mãe deve ser equilibrada ao demonstrar afeto ao flho. Não deve ser exagerada nos cuidados, porque isto poderá ser prejudicial no futuro. Boa educação significa equilíbrio entre a proteção, a correção e a liberdade dada ao filho. Assim como a liberdade excessiva gera insegurança, insatisfação, ideia de estar desprotegido, a superproteção tira do filho a capacidade de iniciativa, solução e de escolha. O filho precisa encontrar, com ajuda da mãe, se necessário, a ma¬neira correta de vencer as pequenas dificuldades que surgirão quando criança, pois é este lon¬go aprendizado que ensinará o filho como enfrentar, e o que fazer para solucionar os grandes problemas da vida adulta do filho.

7° Elo - EXEMPLO (rosa) - "O exemplo não é a principal coisa que influencia os outros;
é a única coisa" (Albert Schweitzer). EXEMPLO - a influência poderosa da mãe sobre o filho. Esta ligação vem por meio dos sentimentos expressados no dia-a-dia, da maneira de viver dentro do lar, das atitudes em relação aos outros, da honestidade, do temor a Deus, não medo, mas reverência e obediência às leis do Senhor. O filho no futuro, quando adulto, vai procurar pôr em prática as lições preciosas aprendidas com o EXEMPLO da mãe, e que certamente ficaram gravadas na men¬te e no coração. Na Epístola de Paulo a Tito (2.7), ele recomen¬da: "Em tudo te dá por exemplo...". Perdão, paz, alegria, fidelidade, sinceridade e confiança são princípios que a mãe passa ao filho com exemplo diário. Esta é a maneira mais poderosa de ensinar os filhos. Ensine sendo exemplo
Dirigente - A pipa está pron¬ta para levantar voo. Agora a (nome da mãe), sabe exatamente como e o que fazer para que esta ganhe altura com segurança e não se perca. O filho também está pronto. Só que este "ganhar os ares" do  filho acontecerá daqui a algum tempo, será demorado e exigirá um grande esforço, mas no final será recompensador. Querida mãe, as orientações sugeridas podem e devem ser se¬guidas para que (nome do bebé) cresça como Jesus: "E o menino crescia, e se fortalecia em espíri¬to, cheio de sabedoria, e a graça de Deus estava sobre ele" (Lucas l .40). Cabe a você zelar pela vida física, moral, emocional e espiri¬tual desta jóia preciosa.
fiz este cha de bebe quando meu neto Vitor nasceu não me lembro da fonte