ANOTAÇÕES DA BÍBLIA

LIVRO DE JÓ

LIVRO DE JÓ

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                           

Instituto Bíblico Filadélfia                LIVRO DE JÓ             Profª Nilza Cardoso Clemente

  “Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem.”42:5

 

Livro sapiencial – (um manual de instrução para a vida) O homem aprende a conhecer a si mesmo.

= Pesaroso, voltado para Deus (em hebraico perseguido)

(em árabe arrependido)

Provações é o pensamento chave.

O TEMA DO LIVRO:(ou assunto do livro) O sofrimento humano ou O sofrimento do justo. Jó apresenta a sabedoria para aqueles que sofrem.

Este livro denuncia a insuficiência dos horizontes humanos para compreensão adequada do problema do sofrimento

  foi tentado. Desfrutava de uma vida cheia de prestígio, posses e pessoas. Foi subitamente atingido por todos os lados, desvatado, sugado até a base. Entretanto a sua vida fora construída de novo. Aleluia! Foi construído em Deus, por isso ele suportou.

O livro de Jó conta a história de um homem de Deus. É um emocionante drama de uma pessoa que vai da riqueza à extrema miséria, e é restituída em dobro. É um retrato de fé persistente.

Ao lermos Jó, vamos analisar a nossa vida, vamos checar a nossa base. Devemos estar apto a afirmar que, quando mais nada nos restar além de Deus, Ele é suficiente!

Um furacão corta e dilacera. Apenas as fundações sólidas permanecem, sobrevivem a esta fúria desenfreada. Contudo estas bases podem ser usadas para a reconstrução após a tempestade. Em qualquer tipo de reconstrução a base é de vital importância Ela precisa ter profundidade, solidez suficiente para suportar o peso da reconstrução e outras pressões.

Nossas vidas são como construções, e a qualidade e a base determinarão a qualidade do seu todo. Devemos usar bom material na construção de nossa vida para não sermos arruinados.

 Há autor que diga que Jó viveu 60 anos antes do seu sofrimento e mais 140 anos depois da restauração (Jó 42:16) .60+140=200 anos

Sua longa vida aponta para uma época patriarcal (2000 – 1800) a.C. sendo assim Jó seria contemporâneo de Abraão.

Outros pensam que é da época de Salomão. Não há nada no livro indicando que Jó conheceu leis hebraicas e suas cerimônias como temos a partir de Êxodo. Por isso acha-se que está entre Gênesis 11 e 12 este acontecimento

Os sacrifícios que Jó oferecia, os holocaustos, mencionados no início do seu livro era de ordem sacerdotal, mas não eram os mesmos sacrifícios levíticos.

Daí a idéia foi aceita que este poema foi escrito antes da libertação do povo de Deus no Egito.

 SUA LOCALIZAÇÃO: Uz – Provavelmente a Leste de Canaã, talvez na atual Arábia Saudita. Sabe-se apenas que tinha muitas pastagens e plantações (1:2) Situava-se próximo ao deserto (1:19) e estava perto dos caldeus o suficiente para ser atacada (1:14 a 17).

Uz também é mencionada em Jeremias 25:19 e 20 (.Ler Gn.10:23)

 QUEM ESCREVEU O LIVRO? Alguém que teve uma profunda experiência com Deus. Não se tem certeza do seu autor. Há várias possibilidades abordadas pelos estudiosos da Bíblia.

 - Talvez Moisés – A coleção de tradições judaicas denominadas Talmude, o atribui a Moisés. Outros estudiosos acham que poderia ser Esdras, Salomão, Eliú (36:16 e 17) ou o próprio Jó.

 - Moisés (Período mosaico) - Supõe-se que Moisés escreveu este livro quando se achava entre os medianitas, cerca de 1520 AC. Harã. Ou porque Jó viveu + de 140 anos, filhos adultos, então exercia a atribuição sacerdotal que é uma época antes de Moisés.

 - Salomão - Durante o seu reinado. Isto explicaria o seu universo espírito. Os Três amigos eram ÁRABES, talvez Jó o fosse. O local foi Harã norte da Palestina, perto de Damasco. Não houve nenhuma referência à Lei de Moisés ou ao registro de fatos da história judaica, talvez isto tenha sido proposital, para quebrar a tradição. pertence em pensamento e forma a corrente literária, que se originou com Salomão, daí ser mais semelhante ao livro de Provérbios do que qualquer outro livro do AT.

 - Durante ou depois do exílio Babilônico – O problema do sofrimento passou a ser considerado nesse período. A concepção de imortalidade no livro aparece mais tarde. Existe muito da língua Aramaica e hebraica. O quadro de satanás é muito adiantado. Esta  concepção é do VT.A palavra satanás sig adversário. O termo só aparece duas vezes no AT. Sendo ambas a literatura pós exílica. (II Cr,21:2 – Zc. 3:1 e 2).

 PLANO DO LIVRO DE JÓ: Este livro é uma das mais grandiosas obras jamais escrita. É a mais antiga exposição do eterno problema O destino do homem e a providencia de Deus.

- É um livro doutrinário fala da doutrina de Deus, do homem, de satanás, do pecado, da justiça, da disciplina, da fé, da criação e de outros.

É também um livro Revelador de fatos divinos e sobrenaturais. Ele aborda fatos essenciais sobre Deus, seu favor para com seus filhos e seu controle sobre satanás. Fala da confiança que ele quer que tenhamos nele.

 No livro de Jó nós temos a resposta a pergunta: Porque o justo sofre enquanto os ímpios gozam de saúde e prosperidade?

É porque também faz parte da humanidade decaída e corrompida. “Muitas são as aflições dos justos, mas de todas elas Deus as livra”.

O homem bom não escapa de todas as tribulações, ele também as tem. Mas o Senhor o ajuda em todas e cada uma delas Sl.

“No mundo tereis aflições (tribulações), mas tendes bom ânimo, Eu tenho vencido o mundo João 16:33.

O livro de Jó é um livro que aviva a nossa Esperança.

Jó é um exemplo da Sabedoria Divina é mais do que a poesia.

A verdadeira sabedoria nos aproxima da dependência de Deus e não da justiça própria ou auto – suficiência.

 Jó Existiu? Ele é tão real como Noé – Daniel etc.

Aqui temos o testemunho do próprio Deus Ezequiel 14:14 a 20 Ezequiel não ia misturar um personagem  fictício.Tiago 5:10 e 11 – justo e paciente Jó não é imaginário.

O que Deus vê neste momento na nossa vida?

 Capítulo 1:

 V.1 - Jó era sincero e temente a Deus. Ele é chamado de perfeito.

servia conhecia o Deus que ele serviu.Lembremos que nós estamos debaixo da soberania de Deus.

 V.2 – Patriarca pai de 10 filhos = 7 rapazes e 3 moças

 V.3 – Era o maior, fazendeiro, o mais rico daquela parte do Oriente. Possuía:

7000 ovelhas. 3000 camelos,500 juntas de bois,500 jumentas, Muita gente a seu serviço. Amava seus filhos e desviava-se do mal. Acima de tudo Jó era servo e apenas um servo. Não existe Grande servo (de Deus) Servo é aquele que serve. Jó era um modelo único.

 V.5 – Jó se preocupava com a vida espiritual de seus filhos. (Nós devemos também nos preocupar-nos com a vida espiritual de nossos filhos, sacrificando algumas horas em oração por eles).

 V.6 a 12 – O ataque de satanás contra Jó: Aqui começa um diálogo entre Deus e satanás (adversário) este se apresenta a Deus regularmente como anjos (aqui chamado filhos de Deus)

Certo dia quando Deus se reunia com seus filhos ou membros da corte divina anjos.

Cremos que satanás aqui na terra é inspetor de Deus junto aos homens nos céus, ele é o adversário dos homens junto a Deus (fiscal acusador de ofício).

Um concílio pode ser na terra ou nos céus, tanto faz. Satanás aparece não como um anjo caído, mas como um anjo que tem acesso aos céus.

 Eis aqui de que se ocupava satanás:

  1. a)     Rodear a terra e passear por ela (1:7)
  2. b)     Assistir as reuniões dos filhos de Deus (1:6)
  3. c)      Acusar os filhos de Deus (1:9 a 11 e Ap.12:10
  4. d)     Ferir os servos de Deus quando Deus permite (2:6 e 7)

 Este trecho nos mostra que: a) Todos os seres angelicais, bons ou maus, são compelidos a apresentar-se a Deus.

  1. b) Que ele está sempre em atividades a serviço do seu reino, temebroso, procurando destruir a fé dos crentes, porque satanás tem demônios que cumpre a tarefa para ele, e se não cumpre eles são castigados.
  2. c) Ele acusa falsamente os servos do Senhor.
  3. d) Ele depende da permissão do altíssimo par provar os crentes em Jesus Cristo.
  4. 8 - Nós vemos: Aqui o Senhor inicia um dialogo - O Senhor elogiando o seu servo Jó

Jó era sincero e reto, isto é íntegro, justo, honrado, piedoso, caridoso, completo sem pecado, era como qualquer ser humano. Era temente a Deus, e desviava-se do mal. Bom pai, bom chefe de família e em tudo queria agradara Deus. .

Ainda com todas estas qualidades ele grita,chora,reclama se impacienta, mas não perde a fé.

Satanás não gosta de ver nem ouvir um crente fiel sendo elogiado, ele só aplaude o crente que anda errado.

 V.10Sebe = cerca viva - Muitos anjos nos cercando.

 V.11 – Satanás desafia a Deus. Aqui podemos ver Deus investindo no homem imperfeito (Jó) sabendo muito bem qual era o resultado. Deus é onisciente.

 V.13 a19 – Satanás ataca. Aproveita seus agentes para destruir a sua fé. Isto só acontece dentro dos limites de Deus. (As aflições e a paciência de Jó)

 V.15 - Os Sabeus – Sabá tribo nômades da Arábia, que faziam invasões roubando e matando. Eram beduínos - Fogo de Deus ...Um Raio

 V.17 - Os Caldeus – Os desta época eram nômades saqueadores. O vento que derrubou a casa em que se encontravam os filhos de Jó (1:19) deve ter sido uma grande tempestade de areia que acusou a morte deles, Ou um terremoto.

 19 - Eis que levantou grande vento do lado do deserto e deu nos quatros cantos da casa. Vento Sul traz calor. Vento Oeste (poente) traz chuva. Vento Norte traz chuva fresca e vento Leste vento quente siró.

Quatro cantos da casa =1 - Canto da família, 2 - canto financeiro,

3 - canto da doença  4 - canto espiritual (fé esperança.)

  1. 20 – luta grande...mas Jó adorou

 Capítulo 2  - Dialogo entre Deus e satanás

 V.7 – Uma enfermidade – não sabemos qual doença, mas os eruditos pensam ser uma espécie de lepra ou algo semelhante. Úceras purulentas, fétidas e inflamadas cobriam a pele de Jó. O osso ficou enfraquecido e começaram a desgastar-se. Apele foi tornando ressequida, preta e alargando o corpo. Pesadelos horríveis faziam parte do sofrimento de Jó.

 V.9 – Sua esposa lhe diz: Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa a Deus e morre. Achava-se que se ele amaldiçoasse a Deus talvez Deus lhe desse a morte.

A mulher de Jó  foi julgada por uma palavra.Teve 7 homens 3 mulheres ,marido empresário, foi companheira, mãe, educava seus filhos e perdeu tudo. Ela venceu a primeira etapa. Na segunda fase ela não suportou, muitas provas ,muita luta. Mas quando Jó a repreendeu ela se calou. Sofrendo, chorando. No final ela ganha muito mais do que perdera.

Jó perdeu todos os seus bens, mas não perde a fé.

 O servo do Senhor pode passar por fogo, pelas águas, pelo horror, der maltratado, injuriado, repelido pelos homens, mas Deus nunca se esquecerá que ele é seu servo adquirido pelo sangue de seu Filho Jesus Cristo.

Jó estava sem bens, sem filhos, sem saúde. Ele estava só, mas Deus não o esqueceu. A Bíblia nos fala que quando estamos fracos Ele se mostra forte. Em nossa fraqueza repousa o poder de tudo. II Co.12:9 e 10.

 Jó raspa suas feridas com caco e assentou-se nas cinzas.(lixo)

 capítulo 3 ao capítulo 31 é diálogo.

 Quase 75% de debates entre Jó e seus amigos.20 capítulos são palavras de Jó.9 capítulos são palavras de seus amigos.6 capítulos Eliú. Eles expõe seus pensamentos

 capítulo 3 – Início do primeiro poema

O que mais temia aconteceu

 Depois dos acontecimentos calamitosos dos capítulos 1 e 2 depois de rejeitado por sua esposa. Depois de sentar no monturo por uma semana. Depois de tudo e muito mais que não está descrito no livro, Jó finalmente abre a boca e desabafa.

Em suas palavras: perguntas, dúvidas, frustrações, perturbação, procurou compreender a sua situação contrária, mas ainda não encontrou resposta.

O primeiro ciclos de discursos

 Lamentação de Jó 3:1 a  26

Nestes últimos versículos. Ele amaldiçoa o dia do seu nascimento e a noite da sua     concepção. Ele não amaldiçoou a Deus e sim o dia. Ele preferia nunca ter nascido ao ser abandonado por Deus.

Ele está cheio de dor física, sem saber a razão de tudo isso que o tormenta.

 A última parte do capítulo 3 (v.20 a 26) vê o desânimo de Jó aumentando:

- Ele amaldiçoa a noite em que foi concebido e o dia em que nasceu.

- Desejava que tivesse morrido no ventre.

- Queria ter a morte prematura para escapar a aflição.

Nesta situação desesperadora, ele vê a morte, o túmulo, como algo mais desejável do que tesouros ocultos. Ler cap.3 v.20 e 21

Não pensemos que Deus realmente nos ama. Ele sempre nos impedirá de sofrermos. Às vezes podemos gozar de plena paz, outras vezes desespero total. O amor de Deus não pode ser medido ou limitado pela intensidade do nosso sofrimento. Em Romanos 8:38 e 39 diz: Porque estou certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem principados (são seres invisíveis do mal), nem potestades, nem o presente, nem o provir, nem altura, nem profundidade, nem alguma outra criatura nos pode separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor. Aleluia!  Em Cristo nós somos mais que vencedores, seu amor nos protege do poder das trevas.

V.23 – outras versões diz Cercou de todos os lados. Jó pensava que a cerca é para que o impedisse de sair, e pelo contrário impedir que satanás entrasse.

 Do Capítulo 4 adiante vemos – O Desconforto dos Três Amigos

 ELIFAZ – Era o mais entendido – Ciência – Temanita – Sig. Deus é o ouro refinado ou Deus concede Era de Temã descendente de Esaú edomita, neto de Jacó, (pertence à Arábia, considerada a região de homens sábios)

 Principal argumento: Era que Deus é soberano, justo e puro (4:7) e que o homem é a causa dos seus próprios problemas ... Acusa Jó de não ser reto O sofrimento de Jó prova que ele é um pecador.. (V.4.17) Se Deus é soberano, justo e puro é que a causa dos seus problemas é o homem (v.5.7) Elifaz acha que sofrimento humano deve ter uma causa =PECADO. ELIFAZ NÃO MEDE AS SUAS PALAVRAS.

 BILDADE – A Tradição – Filhos da contenda – Suíta, era de Suá – descendente de Abraão e Quetura.

Conselhos superficiais e não ajudam nada a aflição de Jó.

Ele acusa Jó de impiedade ( 8:13)

  Principal argumento; é que Deus jamais perverte o direito ( 8:13)

 ZOFAR – cabeludo ou rude - Dogma – (doutrina religiosa, filosófica) Deísmo (o homem devido a sua pequenes e imperfeição jamais alcançarão favores de Deus). Naamatita (Naamate) de origem e localidade desconhecida.

Acusa Jó de Jactância ( 11:2 a 6 )Arrogante, vaidoso,orgulhoso.Sepega a uma orgumentação legalista.

Um dos seus argumentos principais é que Deus não ignora jamais a iniqüidade de ninguém (11:11) e que o mal não passa despercebido a seus olhos.

 ELIÚ – Era mais jovem –Ele é meu Deus - Novos e idosos podem ser sábios V.8    Era de Buz talvez da Síria ou Arábia. Não tinha muita intimidade com Jó.

 Argumento chave: É que Deus é sempre bom. (33:24) e misericordioso. Acusa de reagir contra o seu sofrimento. Quem acusou Jó não foi Deus .

 ELIFAZ, BILDADE e ZOFAR. Estes homens eram pessoas de prestígio e de honra, de terras distantes. Partiram separadamente de seus locais de origem, encontraram em um lugar determinado e daí seguiram juntos para Uz.

Quando chegaram, notaram que já estava irreconhecível por causa da sua enfermidade, até choraram, rasgaram suas capas e jogaram pó para o ar sobre sua s cabeças. Com este ato estavam demonstrando pena, ante a angústia de Jó pela sua agonia. O período de luto naquele tempo era de sete dias e sete noites. Eles ficaram sentados, silenciosos, pensativos, sem dirigir uma sílaba sequer a Jó. (2:13).

 ALGO BOM SOBRE ESTES TRÊS HOMENS.

 1 – Eles deixaram tudo por algum tempo para virem consolar um amigo que estava sofrendo grandes calamidades.

 2 – Viajaram muito para chegar ao destino. (devemos fazer visitas)

 3 – Foram os únicos que apareceram para se condoerem com Jó.

 4 – Choraram com ele na sua desolação e se humilharam perante ele.

 5 – Por sete dias e sete longas noites se sentaram com Jó. Eles, homens de dignidade e se precipitaram com suas línguas.

 O problema de que Elifaz, Bildade e Zofar foram que se tornaram impacientes e se precipitaram com suas línguas.

 O sofrimento de Jó era a forma de disciplinar e aperfeiçoar, refinar seu caráter e sua fé.

 O dízimo só foi transformado em lei quando Moisés recebeu as tábuas da Lei no Monte Sião.

 A batalha de Jó pode ser vista por três ângulos:

 1 - A prova.          2 – Por que foi provado     3 – Para que foi provado.

 Nunca devemos perguntar por que e sim Para que. Em Romanos 8:28 diz: Todas as coisas (boas ou ruins) contribuem para o bem daqueles que amam a Deus.

 Capítulo 4:1 a 5:27 - O Primeiro debate entre Elifaz e Jó

 Como vimos ...Elifaz, o temamita - Ciência – Acusa Jó de não ser reto É o entendido.

Elifaz acha que o sofrimento humano deve ter uma causa.

Elifaz argumenta que Jó está sofrendo porque pecou. Este argumento não aplicava a Jó, pois sabemos que o sofrimento de Jó não era resultado de um grande pecado.

Às vezes damos excelentes conselhos as pessoas apenas para aprender que estes não se aplicam a elas, tornando-se desta forma, pouco proveitosa.

Todos os que oferecem conselhos da Palavra de Deus deveriam ser cuidadosos em compreender plenamente a situação da pessoa, antes de dar qualquer conselho.

Elifaz não mede suas palavras e diz: Se fosse ele não murmuraria nem reclamava, ou seja, buscaria a Deus e entregaria a sua causa.

É muito fácil dizer “Se eu fosse você faria isto ou aquilo”. Cuidado! Com as palavras.

 No Capítulo 5:17 a18 ; Bem aventurado é o homem a quem disciplina Porque ele faz a ferida e ele mesmo a ata, ele fere as suas mãos curam.

No capítulo 6:1 a7:21 – Jó justifica a sua queixa, ele responde: A justiça da minha causa triunfará 6:29 – Sua integridade ainda permanece.

6:30 – Ele declara a sua inocência Romanos 3:23: Porque todos pecaram e destituído estão da glória de Deus. Todas as iniquidades nos torna “pecadores” grandes ou pequenos. Todos eles nos separam de Deus, mas todos podem ser perdoados

Capítulo 7 – Continua a réplica

Neste cap. Jó da vazão a amargura da sua alma, dirigindo-se a Deus. Ele reclama que a mão de Deus estás sendo pesada sobre ele. Continua falando sobre a inutilidade da sua vida e o aparente enigma da sua situação infeliz.

A vida já é curta demais, então qual é o propósito de passar toda uma parte desta vida sofrendo calamidade, sofrendo dor.

 Capítulo 8:1 a 22 - O Primeiro debate entre Bildade (o suíta, descendente de Suá, filho de Abraão por Quetura. tradicionalista) e Jó.

Bildade ficou transtornado porque Jó ainda se dizia inocente enquanto questionava a justiça de Deus.

Ele acusa Jó de impiedade e seu Principal argumento é que Deus jamais perverte o direito Achava-se que Jó continuava a sofrer por admitir o seu pecado.

 BILDADE aconselha Jó. (São conselhos superficiais, não ajudam em nada) 8:2 Até quando falarás tais coisas? Bildade é mais audacioso do que Elifaz diz ainda que os filhos de Jó pecaram, por isso morreram.

Capítulo 9:1 a 10:22 Réplica de Jó -   - Jó confessa a justiça de Deus e pede alívio para a sua miséria.

10:2Direi a Deus; não me condenes, faze-me saber por que contendes comigo.

 Capítulo 11:1 a 20 - Primeiro debate entre Zofar (naamatita,dogma) e JÓ

 Dogma é uma crença ou doutrina estabelecida de uma religião, ideologia ou qualquer tipo de organização, considerada um ponto fundamental e indiscutível de uma crença.(Doutrina Religiosidade e filosofia)

Zofar .cabeludo ou rude acusa de jactância (vaidade e orgulho)

 Sua argumentação: O pecado de Jó merece ainda maior sofrimento do que este.

Diz que Jó era um tagarela. Ele achava que Jó estava falando coisas que não entende e que Deus é até muito tolerante com Jó. Ele acha que Jó merece um castigo maior que está recebendo agora. Esta acusação vem do homem que estava se tornando cada vez mais irracional e dependendo inteiramente do seu intelecto ao tratar com Jó.

 Capítulo  12 a 14:22 -  Jó responde se defendendo contra as acusações de seus amigos.

 Capítulo 13:18 -  Estou certo de que serei justificado  

Capítulo 14:1 – O homem é inquieto...Nós lamentamos sempre a brevidade dos nossos dias, mas agimos como se não houvesse fim para eles.

 V.7 – Porque há esperança para a árvore, pois, mesmo cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus rebentos.

V.14 – Se morrer o homem porventura tornará a viver?

A resposta é dada por Cristo {a beira do túmulo de Lázaro (João 11) Os homens acreditavam na ressurreição antes mesmo da vinda de Cristo (At.23:6;24:14 e 15;II Samuel 12:23 At.26:6 e 7 ;20)

 Capítulo15; 1 a 21:34 - O segundo ciclo de discursos:

 Capítulo 15:1 a 35 – O segundo debate entre Elifaz e Jó

Elifaz acusa Jó de impiedade e mostra que o ímpio é atormentado nesta vida

 Capítulo 16:1 a 17:16 - Réplica de Jó a Elifaz

Jó acusa seus amigos de falta de compaixão.

 17:15–Onde está a minha esperança? Sim a minha esperança quem a poderá ver?

 Capítulo 18:1 a 21 – O segundo debate entre Bildade e Jó.

Bildade descreve a sorte do perverso  - acusa Jó de presunção e impaciência. 

Capítulo 19:1 a 29 - Réplica de Jó a Bildade

Jó embora sofrendo ele sabe que o seu Redentor vive. Jó chama o seu Senhor de Redentor. Jesus é o nosso Redentor. Quando Jó grita o grito de misericórdia ele grita “Goel” que quer dizer redentor. Quando alguém morria o seu parente mais próximo seria o “Goel” daquele que faleceu. Isto é ele iria redimir toda pendência que o morto deixasse para trás. Aqui ele diz uma profecia sobre o Redentor que iria salvar a todos. Redimir-nos de todo pecado.

Jó proclamou isto quando estava ainda no pó e nas cinzas, apodrecendo em vida e não depois da grande virada da sua vida.

Capítulo 19:25 a 27 Fala claro da ressurreição dos mortos.

 Capítulo 20:1 a 29 - O segundo debate entre Zofar e Jó.

Zofar descreve a calamidade dos perversos.

O sofrimento inexplicável na vida de seus filhos, tem como ampliar a nossa visão sobre a soberania de Deus.

 Capítulo 21:1 a 34 - Réplica de Jó a Zofar. Jó mostra que os ímpios muitas vezes gozam prosperidade nesta vida 

  Capítulo 22:1 a 30 - O terceiro debate de Elifaz.

Elifaz acusa Jó de grandes pecados e o exorta ao arrependimento.

 Capítulo 23:1 a 31:40 - O terceiro ciclo de discursos: Jó deseja apresentar-se perante Deus e confia na sua misericórdia.

 Capítulo 23:1 a 24:25 - Réplica de Jó a Elifaz.

Jó confessa que os perversos muitas vezes não são castigados e responde a sorte dos perversos no capítulo 27

Capítulo 23:10 – ler – O sofrimento é o meio que Deus usa para fazer o cristão crescer na sua fé. Ouro sai da fornalha puro e purificado. Ler Malaquias 3.3 e I Pedro 1.6 e 7

 Capítulo 24 Réplica – Jó confessa que os ímpios, muitas vezes, fiquem sem castigo nesta vida.

 Capítulo 25:1 a 6 - O terceiro debate de Bildade.

Bildade nega que o homem não possa, sem presunção, justificar-se diante de Deus.

 Capítulo 26:1 a 31:41 - Réplica de Jó a Bildade.

Capítulo 26–Jó repreende Bildade e exalta o poder de Deus. Jó afirma a soberania de Deus

 Capítulo 26.7 a 10 – placas tectônicas

 Capítulo 27 – Jó sustenta sua integridade e sinceridade

 Capítulo 28 - A verdadeira sabedoria vem de Deus. Este capítulo é semelhante ao livro de Provérbios. Uma consideração da questão de onde se pode achar a sabedoria.

 Capítulo 28:11 – “Tapa os veios de água e nem uma gota sai deles, e traz a luz o que estava escondido. ”Energia.”

 Capítulo 29 – Lamentação de Jó. Ele lembra do seu primeiro estado feliz.Jó fala “eu” mais de 20vezes.

 Capítulo 30 – Jó lamenta a miséria que caiu.

 Capítulo 31 – Jó declara a sua integridade nos seus deveres.

 Capítulo 32:1 a 37:24 – O discurso de Eliú.

Ele se ira contra Jó e seus três amigos.

 Capítulo 32:1 a 33:3 – O primeiro discurso –Deus instrui o homem através da aflição.

Capítulo 33 – Eliú acusa Jó de se opor a Deus e de entender mal os seus amigos.

Capítulo 33.24– A ruína ...REMISSÃO...

Capítulo 33.25 – a REGENERAÇÃO

Capítulo 33.26 – a RECONCILIAÇÃO (repouso,retidão)

Capítulo 33.28 – a RESSURREIÇÃO

 Capítulo 34:1 a 37 – O segundo discurso – Vindicadas a justiça e a prudência de Deus. Eliú acusa Jó de falar injustamente de Deus.

 Capítulo 35: 1 a 16 – O terceiro discurso - As vantagens da piedade. Deus não ouve o aflito porque esses não têm fé. 35:13 – “Só gritos vazios Deus não ouvirá”.

35:15 – A tua causa está diante de Deus.Aleluia

 Capítulo 36:1 a 37:24 - – O quarto discurso – A grandeza de Deus e a ignorância de Jó. O sofrer do homem Deus lhe visa o bem. Eliú exalta a majestade de Deus.

 Quatro visões do sofrimento:

 A visão de satanás: As pessoas acreditam em Deus apenas quando são prósperas e não estão sofrendo, isto é errado.

 A visão dos três amigos: O sofrimento é o julgamento de Deus pelo pecado. Isto nem sempre é verdadeiro.

 A visão de Eliú: O sofrimento é a forma de Deus para ensinar, disciplinar e refinar. Esta é a verdadeira, mas incompleta explicação.

 A visão de Deus: O sofrimento nos faz confiar em Deus por quem Ele é não pelo o que Ele faz.

 Capítulo 37- O homem, por conhecer as obras de Deus e a sua sabedoria, deve temê-lo

Curiosidade: 37:7 – Impressão digital Assim torna ele inativas as mãos de todos os homens.

37:23 – Grande é o poder de Deus.

 Capítulo 38:1 a 42:6 - Os discursos de Deus. Debate entre Deus e Jó

 Capítulo 38- O primeiro discurso –A onipotência de Deus é proclamado na criação; O Senhor convence a Jó da sua ignorância.

V.1 a 3 - “Depois disto, o Senhor respondeu a Jó dum redemoinho, e disse: Quem é este que escurece o conselho com palavras e conhecimento? Agora cinge o teu lombo, como homem; perguntar-te-ei, e tu responda-me. ”Agora o próprio Deus chegava a Jó em pessoa num redemoinho, numa nuvem de glória, revelando a Jó a sua glória e o seu poder, a sua soberania, para dizer ao seu servo que Ele pôde provar o mais justo, e que  tais provações lhes serão creditadas em benção multiplicadas.  O Senhor respondeu a Jó de um redemoinho. Embora Jó temesse ser esmagado por Deus em uma tempestade (Jó 9.17), o Senhor não vem para destruí-lo, mas o sobressalta para que ele reconheça a sua devida condição de Seu servo.

 V.4 – “Onde estavas tu quando Eu fundava a terra?”. Não temos resposta para esta pergunta até os dias de hoje.

A Palavra de Deus, a Bíblia, diz que, quando a Terra foi criada, “todos os filhos de Deus davam gritos de louvor”. (Jó 38:4-7) Portanto, os anjos já existiam muito antes da criação dos humanos, até mesmo antes da criação da Terra. Esse texto bíblico mostra também que os anjos têm sentimentos, pois diz que ‘juntos gritavam de alegria’. Note que “todos os filhos de Deus” se alegraram juntos. Naquele tempo, todos os anjos pertenciam a uma família unida que servia a Jeová

V.7 –“Quando as estrelas da alva junta alegremente cantavam...”.  Coral estelar

V.13 –“orlas da terra...” eixo imaginário. ...Eixo terrestre é uma linha imaginária que passa pelo centro da Terra, indo do Polo Norte ao Polo Sul. A Terra se movimenta em volta do eixo imaginário, perfazendo um total de 24 horas para completar o giro. Portanto essas vinte quatro horas de movimento resultam em um dia e uma noite....

V.18 – “idéia largura da terra” Linha do Equador linha do Equador é uma linha imaginária responsável pela divisão do globo terrestre em dois hemisférios

  1. 19 - “Onde está o caminho da morada da luz? E quanto às trevas, onde está o seu lugar?” Espaço cósmico.ESPAÇO CÓSMICO. O Universo é composto por astros, também conhecidos como corpos celestes, que, basicamente, são divididos em: luminosos, isto é, os astros que emitem luz própria - as estrelas;
  2. 22 – “Ou entraste tu até os tesouros da neve e viste os tesouros da saraiva, que Eu retendo até o tempo da angústia, até ao dia de peleja e de guerra?” Hoje, a ciência sabe que a neve é formada de cristais microscópio em formato geométrico, de variedade praticamente infinita. Ninguém sabe quantos formatos de cristais existem na neve. Mas Deus sabe. Quando a gente diz “cada um”, é justamente porque os cristaisde nevesão como as nossas impressões digitais: não há um igual ao outro.

V.38–“Onde está o caminho para onde se difunde a luz” Prisma ótico – instrumento óptico mais usado na demonstração da dispersão da luz.

V.31 e 32 – Lei gravitacional- "Dois corpos atraem-se com força proporcional às suas massas

V.34 – Rádio – “Podes levantar a tua voz até as nuvens...”  O som se propagar através de ondas eletromagnéticas pelo ar.

V.38 – Junção atômica molecularPara que o pó se transforme em massa sólida” Dois ou mais tipos de átomos pode, além disso, ser combinadas de diferentes maneiras para formar mais do que uma classe de moléculas "

39:7 – Lei da acústica – “Ri do tumulto da cidade”  acústica é o ramo da física associado ao estudo do som

40:15 19 –– Beemote –Sua força está nos seus lombos e o seu poder, nos seus músculos do seu ventre, Sua cauda como o cedro e seus ossos como bronze o seu arcabouço como ferro. Todas estas qualidades acharam no dinossauro. 12 mt de comprimento sua cauda=1/3 do seu corpo com 36 mt. Primeiramente, saiba que a palavra “dinossauro” só passou a existir a partir do século XIX, mais precisamente em 1841, com o paleontólogo britânico Richard Owen. Logo, não espere encontrar essa palavra na Bíblia, pois esta foi escrita muito tempo antes dos fósseis de dinossauros serem encontrados. Mas, se eles realmente existiram, então a Bíblia deve ter falado deles usando outra palavra, não?

Sim, a Bíblia fala sobre os dinossauros, porém referindo-se a eles como “Leviatã” e “Beemote”.

 Capítulo 40:6 a 42:6 - O segundo discurso – O poder de Deus e a fraqueza do homem, a humildade de Jó.

 Jó confessa V.5 –“Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem.”.

 Capítulo 42: - V.5 a 6 - O sofrimento inexplicável na vida de seus filhos, tem como propósito divino de ampliar a nossa visão sobre a soberania, a santidade, o amor e a justiça de Deus; e do conhecimento e julgamento de nós próprios. Foi o que aconteceu com Jó.

V.6 - Eu me abomino e me arrependo ao Pó e na cinza.

Moisés escondeu sua face ante a sarça ardente (Ex.3:6)

Pedro reconheceu seus muitos pecados (Lc. 5:8)

Paulo caiu por terra (At.9:4).

João caiu aos seus pés como se tivesse morrido (Apc. 1:17)

 Quando Jó se humilhou ao pó perante Deus, satanás já havia perdido. Depois desta experiência Jó passou a ter uma visão mais clara do mundo invisível, o mundo espiritual do reino de Deus. Aprendeu que esse mundo invisível é mais real do que a própria realidade visível desta vida. Aleluia! O apóstolo Paulo diz que as coisas que vemos são temporais e as que não vemos são eternas.

 V.7 a 17 - Deus repreende os três amigos de Jó, os três consoladores.

 V.10 a 17 - “E o Senhor virou o cativeiro de Jó, quando ele orava pelos seus amigos, e o Senhor acrescentou a Jó outro tanto em dobro a tudo quanto possuía”

 V.14 – Jemina = pomba ,bela como o dia.

Quézia = (canela) madeira perfumada

Querem Hapuque = Querem ,Frasco de coméstico

 Jó é restaurado e próspero. “Assim abençoou o Senhor o último estado de Jó mais do que o primeiro”.

 Porque veio a ter: 14000 mil ovelhas;6000mil camelos; Mil juntas de boi; Mil jumentas. 7 filhos e 3 filhas, Genros, noras, netos, etc.

 Os cristãos recebem duas vezes mais em Cristo, do que perderam em Adão pela morte. Jó tinha agora 10 filhos na terra e 10 filhos no céu.

Devemos lembrar que nem sempre recebemos nossa recompensa aqui na terra onde estamos apenas de passagem. Nós alcançaremos a maior vitória ao chegarmos na glória celeste. João em Apocalipse disse “E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem, pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas”.

 Qual então a mensagem do livro de Jó? Como ele se dirige a grande necessidade universal?

O livro denuncia, de forma notável, a insuficiência dos horizontes humanos para uma compreensão adequada do problema do sofrimento.

Como prólogo como plano de fundo, os sofrimentos de Jó, aparece não como irrefutável prova de castigo divino, como queriam os amigos de Jó, mas como prova de confiança divina no seu caráter.

O autor do livro de Jó recomenda, sem dúvida, a humildade diante do sofrimento jamais advoga o desespero. Ele crê num Deus que pode satisfazer a necessidade humana. O aparecimento dos homens que vem aconselhar Jó conduz à controvérsia, à desilusão e ao desespero; A revelação de Deus promove a submissão, a fé e a coragem. A palavra do homem é impotente para penetrar a escuridão da mente de Jó.

 A palavra de Deus traz a luz eterna. ALELUIA!!!

PESQUISA

- Wesley, Plips Comfort - A Origem da Bíblia.

- Davis, Jonh,Dicionário da Bíblia.RJ,casa Publicadora Batista,1960

- Halley, H,H,Manual Bíblico,Nova Versão Internacional,Editora Vida.

- Grande Enciclopédia Larousse Cultural.

-Apostila do Instituto Bíblico Filadélfia.

-Apostila da ETAD

- Quero entender a Bíblia – edição para adolescente

- Moody, D.L. – As anotações

- Lições Bíblicas; Estudando a palavra de Deus - Ler Ban

- Bíblia de Estudo Pentecostal em CD ROM

- Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal.

- A Bíblia de Halley.

- Bíblia de Estudo de Almeida, Bill e Ruth Graham.

- Dicionário da Bíblia, John D.Davis. a soberania, a santidade, o amor e a justiça de Deus; e do conhecimento e julgamento de nós próprios. Foi o que aconteceu com Jó.