ANOTAÇÕES DA BÍBLIA

Romanos por Kátia Kizzo

Romanos por Kátia Kizzo

 O estudo exige bastante atenção para entender o que Paulo disse, e não o que gostaríamos de ouvir.

-Planos para visitar Roma

-Estudiosos acreditam que Paulo escreveu aos romanos quando estava na Grécia onde passou 3 meses. Vemos em Atos 20:1-
3, que Paulo iria embarcar para a Síria, porém decidiu voltar para a Macedônia.

- Mensagem de Romanos

Os problemas de tosos os homens: 3:10 / 3:23 / 6:23 / 5:12
É mensagem esperançosa e não pessimista: 1:16 / 3:24 / 5:8 / 6:23 (2ª parte)
Anima os santos nas batalhas diárias: 5:9-10 / 5:17
Pai, Filho e Espírito Santo lutam para o nosso bem: 8:26-27 / 8:31 / 8:34
A participação ativa de Deus é nossa vitória: 8:37
Confiança total na sabedoria de Deus: 11:33


Romanos 1:1-15 – Compartilhando o evangelho

Paulo se viu como devedor a todos, e queria compartilhar as boas novas com todas as classes de homens (14-15)

Entenda-se por todas as classes de homens: gregos e bárbaros. Os não gregos normalmente eram menosprezados pelas
pessoas “cultas” da sociedade grega. Assim, Paulo mostrou que o evangelho serve para os “sábios” e para os “ignorantes”

- Quando pensou nos irmãos romanos ele queria anunciar o evangelho e a partir do contato com os irmãos ser encorajado
(12)

- Neste período os cristãos se dividiam graças a muitas dúvidas a cerca do Velho Testamento, mas Paulo mostra que a sua
mensagem não contradiz as profecias antigas. Pelo contrário, confirma-as.

Confirma que Jesus é o Filho de Deus que ressuscitou dos mortos se tornando o Cristo e Senhor.
Cristo significa Messias no hebraico; aquele que veio para cumprir as profecias;
Senhor significa “com toda autoridade sobre nós”.

O livro mostra a necessidade da obediência pela fé (capítulo 5)

Há pessoas hoje em dia, que usam o livro de Romanos para defender que somos salvos pela fé sem a participação de obras.

Paulo contradiz esta afirmação dizendo que a fé exige obediência.

Orações de Paulo

Paulo pedia que Deus permitisse sua visita a Roma (10)

Devemos lembrar que Deus sempre atende as orações dos fiéis, mas nem sempre da maneira que imaginamos.

Romanos 1:16-32 – A necessidade universal do evangelho

Paulo defende a tese de que todos precisam crer no evangelho (16)

Este é um versículo chave. Nele está contido o propósito eterno de Deus para a nossa salvação.

O Evangelho é o poder de Deus
A salvação é para aqueles que crêem
Para os judeus e os gentios

A ira contra o pecado

Entre os versículos 17 e 20 deste capítulo vemos que Deus se revela aos homens, diz tudo o que é correto, mas os homens
fazem o contrário, sendo assim, não há desculpas para os desobedientes.

Entre os versículos 21 e 23 vemos que um erro leva a outros. Os homens pervertem a verdade de Deus.

Entre os versículos 24 e 27 vemos que estas falsas doutrinas sobre Deus andam de mãos dadas com os pecados da carne.

Deus deixa os pecadores caminharem para a sua própria punição.
Deus não autoriza o pecado mas deixa o homem praticá-lo. A justiça nem sempre é imediata, mas os pecadores que
não voltam para Cristo receberão a merecida punição.

Entre os versículos 28 e 32 vemos que as mentes corrompidas se entregam a própria morte.

Romanos 2:1-16 – O justo juízo de Deus

(1-4) – O homem que confia na sua própria justiça não reconhece a sua própria necessidade da graça de Deus.

(5-16) – O pecado dos outros é maior que o meu.

Pecado > e Pecado <. p="">

Deus rejeita a todos

Deus não faz acepção de pessoas.

Deus É o justo juiz.

Romanos 2:17-29 – A culpa dos judeus

O Judeu Verdadeiro                         o judeu falso
Um Judeu interiormente                   o judeu exterior

Circuncisão do coração                     circuncisão da carne

Espírito                                           letra
Louvor procede de Deus                   louvor procede do homem

Romanos 3:1-18 – Os judeus tem vantagem?

Qualquer vantagem que Deus deu foi desperdiçada quando os judeus pecaram.

Por duas vezes Paulo pergunta sobre a vantagem dos judeus. Mesmo recebendo tratamento preferencial de Deus (2) o judeu
não manteve sua vantagem. Assim como o gentio o judeu também pecou.

Paulo cita Salmos e Isaías para mostrar a condenação ao pecado. No contexto vemos a insensatez de homens que negam a
Deus. Estes homens imaginam que seus pecados não serão descobertos e que não receberão castigo.

Vejamos uma vantagem universal: Jesus foi enviado para salvar a todos.

Assim como os judeus podemos todos nós perder esta vantagem quando cremos que nossos pecados não trarão
conseqüências (3-4).

Romanos 3:19-31 – Justo e Justificador

A justiça de Deus exige paramento justo pelo pecado. Pelo amor Ele paga o preço, oferece perdão e se torna justificador dos
pecadores.

(19-20) - vemos que a lei não trás salvação

O que a lei faz?

Cala a boca dos judeus;
Mostra que todos são culpáveis diante de Deus;
Traz conhecimento do pecado, mas não resolve o problema

Lei é comparada ao médico que descobre a doença mas não receita o remédio.

(21-26) – Todos que crêem tem acesso a justiça divina. Paulo destaca a igualdade entre judeus e gentios mostrando que não
há diferença.

Na culpa: todos pecaram (23)
Na necessidade: carecem da glória de Deus (23)
Na salvação pela graça: sendo justificados gratuitamente (24)
Na salvação por Jesus: mediante a redenção que há em Cristo Jesus (24)

No versículo 16 encontramos uma das mais ricas expressões do caráter de Deus: “para ELE mesmo ser justo e justificador...”
A santidade de Deus exige a justiça, e o amor dele oferece a justificação.

Em Jesus, Deus conciliou os dois lados deste caráter. Foi justo em insistir no pagamento de sangue. Torna-se justificador em
oferecer o sacrifício de Jesus no lugar dos homens pecadores.

(27-31) – vemos que o homem não tem direito a se gabar pois não merece nada (27-28). Nenhum homem se justifica por
suas próprias obras.

Paulo fala novamente da igualdade entre judeus e gentios (29-30).

Nem a lei, nem a circuncisão justificam.

Somente Deus justifica perante a fé.

Ø Pergunta que não quer calar:

- a fé anula a lei? NÃO! A LEI É CONFIRMADA PELA FÉ.

A lei mostra o problema; a fé mostra a solução.

Romanos 4:1-25 – A justificação de Abraão

Abraão foi justificado por obras de mérito?

Não! Deus aceitou a fé dele.

(1-5) vemos que quando confiamos em Deus, crendo que Ele justifica o ímpio, Deus aceita a fé no lugar da justiça.

(6-8) vemos que Davi entendeu que um homem abençoado é aquele que recebe o benefício da graça de Deus, o perdão dos
pecados.

(9-15) vemos que o pai dos judeus foi justificado pela fé. Como, então, os gentios seriam justificados? Pela lei? Não! Eles
também podem ser salvos pela fé.

Circuncisão:

Na circuncisão toda a pele que recobre a glande é retirada deixando-a totalmente exposta. A pele,
chamada de prepúcio tem função protetora visto que a glande é extremamente sensível. Este tipo de
cirurgia somente é indicada em casos extremos onde há riscos tais como acúmulo de resíduos (urina, suor
e restos de sêmem) que podem causar infecções,inflamações ou câncer de pênis.

A circuncisão salva?

Em Gênesis 12 Abraão recebe as promessas.

Em Gênesis 17 ele recebe a ordem da circuncisão. Ou seja, 24 anos depois de receber as promessas.

CURIOSIDADES LEGAIS

Porque Deus escolheu a circuncisão?

Esta escolha foi feita por ser ato único. Isto significa que aceitamos Jesus somente uma vez. Caso Deus tivesse escolhido
outro tipo de aliança que nos levasse a atos repetitivos teríamos hoje que aceitar Jesus várias vezes. Por exemplo:
suponhamos que Deus tivesse pedido aos homens que raspassem a cabeça uma vez ao ano. Hoje teríamos que aceitar Jesus
todos os anos.

(16-20) Abraão é pai de todos os que são da fé e não apenas daqueles que receberam a lei.

(21-22) – Abraão creu e Deus aceitou sua fé.

(23-25) O mesmo se aplica a todos que crêem nas promessas de Deus e principalmente aos que crêem em Jesus.

Jesus foi:

1. Entregue por causa das nossas transgressões
2. Ressuscitado por causa da nossa justificação.

As nossas transgressões causaram a morte de Jesus. Neste sentido, a nossa justificação, feita pelo sacrifício d’Ele, “causou” a
sua ressurreição. Uma vez cumprida a sua missão, ele foi ressuscitado de entre os mortos, mostrando para todos a base da
esperança dos crentes.

Romanos 5:1-21 – O propósito da vida de Jesus

Neste capítulo estudamos o poder de Jesus e os pontos contrastantes entre Jesus e Adão.

(1-11) Vemos que o pecado nos separou de Deus e por intermédio de Jesus temos a esperança da Glória de Deus.

Se pelo sofrimento da morte de Jesus chegou a glória, podemos encarar as tribulações com a mesma confiança.

Nossa esperança se baseia em Deus. Por que???????

Deus derramou o seu amor (5)

O Espírito Santo revelou este amor (5)
Cristo morreu por nós quando éramos ainda pecadores (6-8)
Na morte de Jesus o amor de Deus foi revelado(8)

PROCURE O ERRO NA FRASE:

JESUS MORREU PARA NOS SALVAR!

O erro é que ela está incompleta.

JESUS MORREU E VIVE PARA NOS SALVAR!

Adão trouxeo pecado ao mundo. O pecado troxe a morte,por isto todos morreram (12)

O pecado já existia antes da lei (13-14)

O pecado trouxe a morte e o sacrifício de Jesus trouxe a vida (15)

A graça traz a justificação (16)

Pelo erro de Adão a morte reina sobre os homens; pelo sacrifício de Jesus os homens reinam sobre a morte (17)

(18-19)Sentido físico de morte: pelo pecado de Adão surge a morte física; pela ressurreição de Jesus todos os homens serão
ressuscitados (1 Coríntios 15:20-22)

(20) Pecado reinou na morte. Lei enfatiza o pecado.

(21) Graça reina pela justiça de Cristo para a vida eterna.

Graça é superior ao pecado!

Romanos 6:1-23 – Ressuscitados com Cristo

O propósito da graça é a libertação do pecado.

Vimos no capítulo anterior que superabunda a graça onde abunda o pecado (5:20).

Neste caso devemos viver no pecado para que a graça seja grande?

ABSOLUTAMENTE NÃO!

(1-2) Quem é discípulo de Cristo já morreu para o pecado.

(3-6) A morte para o pecado é o que possibilita a vida em Cristo.

(6) O velho homem pecador foi crucificado com Jesus.

(7) Deixamos de ser escravos do pecado quando recebemos a justificação.

(8) Jesus nos dá a esperança da vida eterna

(9) Nos dá vitória sobre a morte

(10-11) Nos dá a comunhão com Deus

(12-14) A certeza de que o pecado não domina.

(12) Não devemos deixar o pecado reinar. (pecado vir)

(13) Não devemos nos oferecer ao pecado. (eu ir até o pecado)

(13) O homem ressuscitado deve ser servo de Deus.

(14) Quem vive debaixo da graça não é dominado pelo pecado diferentemente dos que viviam debaixo da lei.

(15) A liberdade não autoriza a libertinagem.

(16-18) Ou somos servos da justiça ou do pecado. O servo do pecado não participa da justiça e da vida.

(19) Devemos nos dedicar a justiça e a santificação em Cristo

(20) o escravo do pecado se afasta da justiça

(21) Resultado do pecado: vergonha!

(22) Servo de Deus é liberto do pecado.

(23) Quem peca tem a certeza da morte.

(23) Deus oferece gratuitamente a vida eterna apesar do homem não a merecer.

 

Romanos 7:1-11 – Libertados da Lei

Pecado, assim como a lei são associados a morte. Fé em Cristo leva a vida.

(1)Os mortos não são sujeitos a lei

(2-4) Exemplo dado por Paulo sobre o casamento.

Devemos escolher: ou a lei ou Cristo.

(5) Antes de morrer para o pecado, o pecado produzia o fruto da morte

(6) Quem é liberto da lei e do pecado passa a servir a Deus.

(7) A lei não é pecado, mas ela torna o pecado conhecido

(8-9) Lei traz a consciência do pecado

(10-11) Está intimamente ligada a morte

Quem busca a vida terá que procurar em outro lugar, pois a lei não traz a salvação.

Romanos 7: 12-25 – O homem desventurado

Esta parte do capítulo 7 nos mostra a necessidade de um Salvador.

Foi a lei em si que “matou” Paulo? Não!

(12-13) O pecado causou a morte espiritual de Paulo.

(14) A lei é espiritual, o homem pecador é carnal.

(14-24) Paulo refere-se ao problema do homem pecador sem Cristo. Mesmo o homem que quer fazer o bem não tem força
para vencer o pecado e guardar a lei.

(24) O pecador se desespera

(25) É a única resposta.

Antes (sob o pecado / no regime da lei)     Agora (sob a graça de Deus)


Sou carnal (7:14)    Não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito (8:4) Os que são da carne não agradam a Deus (8:8) Se está na carne não é de Cristo (8:9) Não somos constrangidos a viver segundo a carne,que leva a morte (8:12-13) Nada disponhais para a carne (13:14)

Vivíamos segundo a carne(7:5)       Não somos escravos do pecado (6:6)

Agora (sob a graça de Deus)          Libertados do pecado (6:18,22)

Escravidão da impureza (6.19)         Servos da Justiça (6:19)

O pecado habita em mim e controla as minhas ações (7:15-23) O espírito habita em mim e me guia(8.9-15

 

Romanos 8:1-17 – O Espírito X A Carne

Neste capítulo veremos que Deus trabalha para a salvação dos fiéis.

Quem está em Cristo foi libertado de:

Condenação (1)
A lei do pecado (2)
A lei da morte (2)

(3-4) Em Cristo, Deus fez o que a lei não podia fazer.

Carne
Os que inclinam para a carne cogitam das coisas
carnais (5)
O pendor da carne leva a morte (6)
Inimizade contra Deus (7)
Não sujeitos as leis de Deus (7)
Não agrada a Deus (8)
Não pertence a Cristo (9)
Corpo morto por causa dos pecados (10)

Espírito
Os que inclinam para o espírito cogitam das coisas
espirituais (5)
O pendor do espírito leva à vida e à paz (6)
Os fiéis estão no espírito (9)

Aqueles que vivem segundo a carne caminham
para a morte (12)

Aqueles que andam segundo a carne são escravos
atemorizados (14)

Cristo habita nos fiéis (10)
O Espírito é vida por causa da justiça (10)
O Espírito de Deus ressuscitará o corpo daqueles
em que ele habita (11)
Aqueles que, pelo Espírito, matam os feitos da
carne, caminham para a vida (12)
Os filhos são guiados pelo Espírito (13)
Os filhos andam segundo o espírito e gozam
intimidade com Deus (14-16)
Os filhos de Deus são seus herdeiros, e serão
glorificados com Cristo (17)

Romanos 8:18-25 – Sofrimento e esperança

Ardente expectativa
Ardente expectação
Espera ansiosamente

Sofrimento presente

Vem de uma palavra grega que significa “olhar ou
vigiar com a cabeça separada do corpo”. Outra
versão diz: “com o pescoço estendido”.

Glória futura

Sofrimento atual não é comparável (18)
A criação está sujeita a vaidade (20)

Cativeiro da criação na corrupção (21)
A criação angustiada (22)
Até os filhos gemem na angústia (23)

Esperança e paciência (24-25)

Romanos 8:26-39 – Mais que vencedores

(26-27) O espírito vai além das palavras para comunicar a Deus o que nós não conseguimos.

(28-33) Deus dá tudo para nos salvar (deu até seu próprio Filho!)

(34-39) Jesus também intercede por nós.

Romanos 9:1-18 – Deus: Fiel e Justo

Fala do desejo de Deus de salvar o pecador

(1-5) Os judeus incrédulos

(1-3) Parentes israelitas de Paulo. Se pudesse, Paulo daria sua alma para salvá-los.

(4-5) Estes parentes não aceitaram a salvação em Cristo.

(6-13) Deus não falhou

(6) O problema não é a palavra de Deus

(7) O problema é que alguns israelitas não são israelitas

(7-8) Israelitas de verdade são os que crêem e não os descendentes da carne.

(9-13) Deus escolheu Jacó e rejeitou Esaú. Se fizesse o contrário seria acusado de injustiça.

(14-18) Deus é justo.

Deus tem o direito de mostrar misericórdia para qualquer um, conforme sua própria vontade. Quando Ele exerce este direito
ele continua sendo justo. Ele não foi injusto por condenar os judeus incrédulos.

Considere a justiça dos próprios judeus. Se Paulo tivesse escrito um livro dizendo que os gentios seriam rejeitados como
Ismael, Esaú ou o Faraó, os judaizantes não teriam nenhuma diferença com ele. Mas quando ele defendeu a salvação dos
gentios nos mesmos termos dos judeus, ficaram totalmente revoltados.

Romanos 9:19-33 – Os vasos de misericórdia

Na 1ª parte deste capítulo Deus mostra misericórdia para qualquer homem (até os gentios). Oferece bênçãos espirituais a
todos. Judeus então acusam Deus de ser injusto.

Nesta parte Paulo responde a estas objeções.

Mostra que judeus e gentios necessitam de igual modo da graça de Deus, demonstrada no sacrifício de Jesus. Nem judeu
nem gentio pode se justificar sem a graça de Deus.

(19-29) O oleiro e os vasos

(19) Se Deus aceita e rejeita quem Ele quer, como Ele pode condenar alguém? Não foi o próprio Deus quem decidiu tudo?

(20-21) Quando Deus decidiu salvar os crentes (judeus e gentios) e condenar os descrentes (judeus e gentios) Ele agiu dentro
da sua soberania.

(22-23) Deus determina a hora de salvar e de condenar.

(24) Cristão é quem recebe a misericórdia de Deus.

(25-26) Oséias sugeriu a salvação mas jamais sem obediência (Oséias 14:1-4)

(27-29) Deus fez exatamente o que profetizou Isaías. (Isaías 1:9)

(30-33) Salvação pela fé

(30) Os gentios não buscavam a salvação, mas alguns a alcançaram pela fé.

(31) Os judeus buscavam a salvação na lei, mas não a encontraram.

(32-33) Pedra de tropeço neste contexto refere-se a Cristo.

A salvação não vem pelas obras da lei. Quando tentaram se salvar pela lei rejeitaram a salvação em Cristo, a “pedra de
tropeço”.

Glória a ser revelada será maior (18)
A criação espera a revelação dos filhos de Deus
em Glória (19)
A criação será redimida na glorificação dos filhos
(21)

Aguardam a adoção de filhos e redenção dos
corpos (23)
Realização futura (24-25)

Romanos 10:1-21 – Um povo rebelde

Vimos no capítulo anterior que a justiça ficou fora do alcance dos israelitas visto que procuravam ser justificados pela lei.

Paulo deseja a salvação dos israelitas, mas sabe que só é possível através de Jesus.

(1-4) Zelo sem entendimento

(1) Paulo queria que todos fossem salvos

(2-3) Ao invés de buscar a justiça de Deus os israelitas procuravam estabelecer o seu próprio sistema de justiça.

(4) Muitos judeus não compreendem a relação de Cristo à lei. Jesus veio em cumprimento da lei, e apenas aqueles
conduzidos a Ele serão salvos.

(5-15) Jesus é a única salvação

(5-8) Somente Jesus alcançou a perfeição sob a lei. Deus enviou Cristo pela graça.

(9-11) A salvação não depende da obediência perfeita à lei, e sim da fé em Cristo.

(12-13) A mensagem vale para judeus e gentios.

(14-15) A compreensão da natureza universal do Evangelho exige que ele seja pregado a todos. Os servos de Deus têm a
responsabilidade de divulgar a boa nova.

(16-21) A fé em Cristo

(16) Se Deus oferece um único meio de salvação igualmente a todos, podemos imaginar que todos seriam salvos? Não! Nem
todos reagem ao evangelho do mesmo modo.

(17) A fé cresce quando a palavra é pregada

(18) Todos ouvem a palavra de Deus através da criação (ver Salmo 19:4)

(19-20) Os israelitas não devem se admirar que Deus ofereça salvação aos gentios, pois Ele falou disso por meio das profecias
do Velho Testamento.

(21) A pesar da rebeldia do povo, Deus não esqueceu os israelitas.

Romanos 11:1-16 – A Rejeição de Israel

(1-5) Deus não rejeitou os Judeus. Deus mostrou sua bondade quando poupou 7.000 fiéis que nãos erviam aos ídolos.

Deus não escolheu aleatoriamente quem Ele pouparia. Os eleitos são aqueles que aceitam a palavra de Deus.

(6-10) A eleição da Graça

(6) O remanescente alcançou a salvação pela graça.

A dúvida dos judeus quanto a eleição era:

a) Quem seria eleito (não aceitavam a inclusão dos gentios)
b) Qual seria o critério eletivo (graça ou obras da lei?)

(7) Judeus são divididos por Paulo em duas categorias: os eleitos e os endurecidos

Isto mostra que a eleição é feita de acordo com a resposta dos homens ao evangelho.

(8-10) Citações do Velho Testamento para descrever os endurecidos: Deuteronômio 29:4 (corações duros); Salmo 69:22-23
(atitudes erradas)

Deus não rejeitou Israel, mas alguns israelitas rejeitaram a Deus.

(11-16) A esperança

(11) Ainda houve esperança pelos judeus que rejeitaram Jesus. Judeus sentiram ciúmes dos gentios.

(12) Deus usou a rejeição por parte dos judeus para conduzir muitos a salvação.

(13-14) Paulo usou o exemplo da obediência dos gentios para incentivar a obediência dos judeus.

(15) Paulo se refere ao seu próprio ministério de levar a palavra aos gentios.

(15-16) Paulo fala do quanto a salvação dos judeus seria maravilhosa.

Duas ilustrações mostram que o povo ainda pode ser aceito:

a) A aceitação das primícias sugere a santificação da massa toda;
b) Se a raiz for santa, os ramos também seriam santos.

Primícias e raiz = Abraão e os patriarcas = Novamente o exemplo da fé de Abraão oferece esperança a todos, pois pela fé os
homens são justificados.

Romanos 11:17-36 – Quebrados e Enxertados

Os gentios poderiam se achar superiores aos judeus pelo fato dos judeus terem sido rejeitados. Pensando nisto, Paulo
escreve para prevenir a arrogância entre os gentios.

(17-24) Ramos enxertados

(17) Fala dos ramos que foram quebrados (judeus) e dos que foram enxertados( gentios) na mesma oliveira.

(18) Os ramos dependem da raiz e não o contrário, por isso não devem se orgulhar.

(19) O fato de terem sido enxertados não significa que é mérito deles e nem que são superiores aos judeus.

(20) A quebra ou o enxerto dos ramos se dá pela fé de cada um.

(21) Condição não permanente. Ser enxertado não significa que ficará para sempre. Se se tornar incrédulo será arrancado.

(22) Os dois lados do caráter de Deus: severidade para com aqueles que caíram e bondade para com os que crêem.

(23-24) O ramo cortado pode ser re-enxertado.

(25-32) Israel Salvo

(25) A incredulidade dos judeus fez com que as portas fossem abertas para os gentios.

(26-27) Onde está o erro na frase:

“Todo Israel será salvo”.

Paulo está dizendo aqui que todo judeu carnal será salvo? O contexto prova que não. Ele já mostrou que Israel é o povo
espiritual e não o carnal.

(28-29) Judeus carnais rejeitaram o evangelho

(30-32) Judeus e gentios que crêem em Deus serão salvos.

(33-36) Devemos lembrar que tudo isto vem de Deus e que a sabedoria Divina é muito superior a nós.

Romanos 12:1-21 – Sacrifícios agradáveis

Devemos TODOS nos entregar ao Senhor como sacrifício vivo e agradável.

(1-2) O cristão não se conforma com o mundo e se transforma pela vontade de Deus.

(3-8) Cada pessoa tem um dom diferente de outras. Ninguém deve se achar superior (ou inferior) aos outros por ter dons que
outros não têm. Mas todos os dons devem ser usados a serviço de Deus.

(9-21) Neste trecho temos a aplicação prática de tudo o que foi ensinado nos 11 primeiros capítulos.

Ø O amor sincero
• Sem hipocrisia (9)
• Cordial e humilde (10,16)
• Ajudar aos necessitados (13)
• Simpatia para com os outros (15)
• Abençoar os inimigos (14, 17-21)
• Procurar viver em paz (18)
Ø A justiça
• Detestar o mal (9)
• Apegar-se ao bem (9)
Ø O zelo
• Fervoroso, constante (11)
• Servir ao Senhor (11)
Ø A perseverança
• Regozijar-se na esperança (12)
• Paciente (12)
• Orar com perseverança (12)

Romanos 13:1-14 – A dívida do amor

Princípio dominante neste trecho é o amor.

(1-7) Sujeição ao governo

(2)Resistir aos governantes é desrespeitar a autoridade de Deus.

(3-4) O governo pode punir quem faz o mal o apoiar quem faz o bem. Se fizermos o bem não temos o que temer.

(5-7) Devemos ser obedientes respeitando as autoridades e pagando impostos.

(8-10) Amor ao próximo

Toda lei de Deus se resume no amor. Adultério, homicídio, furto, cobiça, etc., são atos contra outros que ferem o princípio do
amor.

(11-14) Revestidos do Senhor

Devemos nos preocupar constantemente com a eternidade para que estejamos preparados para encontrar com o Senhor.

Romanos 14:1-23 – Respeito entre irmãos

Paulo aplica o amor fraternal à convivência de irmãos.

(1-12) Acolher os fracos

(1)Os que se julgam fortes devem acolher os fracos, mas não para discutir opiniões.

(2-4) Comer carne ou não? Questão de foro íntimo.

(5-6) fazer distinção entre dias:

Paulo ensina a tolerância de tais diferenças de consciência

Em qualquer situação devemos sempre respeitar os irmãos.

(7-12) Devemos evitar abusos tais como:

Irmãos teimosos recusarem a estudar questões difíceis alegando serem fracos na fé;
Aplicar estes princípios para tolerar doutrinas ou práticas que vão além da permissão de Deus.
Não tolerar diferenças em questões de liberdade pessoal.
Insistir em fazer as coisas “do nosso jeito” quando existem opções bíblicas.
Julgar os outros com base nas nossas opiniões.

(13-23) Consciência e Fé

(13) Não devemos julgar os irmãos, nem devemos fazer com que um deles tropece.

(14-16) Se insistirmos em usar todas as nossas liberdades, o nosso bem pode ser desprezado.

(17) A ênfase no Reino de Deus não é a liberdade de comer ou beber alguma coisa e sim de participar da justiça e alegria no
Espírito Santo.

(18) Quando servimos a Deus agradamos ao Senhor e aos homens.

(19) Assim promovemos a paz e a edificação

(20-21) Insistir em usar a liberdade, sem considerar a consciência do irmão, destruímos a obra de Deus

(22-23) É importante manter a consciência limpa diante de Deus. Na dúvida não faça nada.

Romanos 15:1-21 – A prática do amor

(1-6) Edificar o próximo

(1)Fortes devem suportar os fracos

(2) Para ajudar os irmãos temos que colocar os interesses dele acima do nosso.

(3) Jesus deu exemplo ao colocar os interesses dos homens pecadores acima dos seus próprios.

(4) As escrituras servem para nos ensinar e dar consolo e esperança.

(5-6) O exemplo de Jesus deve ser aplicado na prática em nossas vidas, para que possamos levantar uma voz para o glorificar.

(7-13) Receber os outros

(7)No espírito de Cristo devemos receber uns aos outros.

(8) Jesus veio para cumprir as promessas feitas aos patriarcas.

(9-12) Mas essas promessas incluíam a salvação dos gentios também.

(13) Oração de Paulo pedindo gozo, paz e esperança para os irmãos romanos.

(14-21) Admoestar com amor

(14) Confiança de Paulo nos irmãos para admoestar uns aos outros.

Paulo diz que eles demonstram

a) bondade
b) conhecimento

(15-16) Falar com ousadia para que nada impeça o trabalho de Deus entre os gentios

(17) Paulo se gloriou em Cristo nas coisas de Deus

(18) Foi Cristo que trabalhou por intermédio de Paulo, entre os gentios.

(19) O Espírito Santo confirmou a sua mensagem pelos milagres que Paulo realizou

(20-21) Paulo levou a palavra a lugares onde o nome de Cristo era desconhecido

Romanos 15:22-33 – Cooperando com Cristo

Paulo encerra o livro com comentários sobre seus planos.

(22-29) Planos de viagem

(22) Divulgar o evangelho aos gentios em lugares novos impedia a desejada visita de Paulo a Roma

(23) Ele achou que a visita seria possível num tempo próximo.

(24-25) Ele queria ficar algum tempo em Roma

(25-28) Ele ia a Jerusalém levar a coleta oferecida pelos irmãos da Macedônia e Acaia.

(28-29) De Roma queria ir para a Espanha

(30-33) Pedido de oração aos romanos para que pudesse:

a) Ser livre dos rebeldes na Judéia;
b) Fazer seu serviço aos irmãos com uma boa aceitação;
c) Chegar em alegria a Roma.

Romanos 16 – Saudações finais

Paulo comenta sobre vários cooperadores no trabalho do Reino, incluindo 8 mulheres:

Febe estava indo para Roma. Paulo pediu apoio.
Priscila e Aqüila arriscaram a vida para proteger Paulo (3-5)
Andrônico e Júnias parentes de Paulo (se converteram antes dele)(7)
Trifena, Trifosa e Pérside, três mulheres que serviam ao Senhor (12)

(16) Paulo saúda todas as igrejas de Cristo

(17-20) Perigo

(17) Perigo de más influências

(18) Pessoas que exercem más influências induzem outros ao erro

(19-20) Paulo queria proteger os romanos

(21-23) Paulo inclui saudações pessoais de Timóteo e outros companheiros

(24-27) Oração

Sobre Romanos 1 e o homossexualismo
• Abandonou os homens as paixões mundanas;
• Inflamaram-se em paixões homens por homens e mulheres por mulheres;
• Deixou que tudo isto acontecesse;
• “Sentimento perverso” (v.28) é a expressão usada para caracterizar o que acontece nos corações dos que se
entregam a estes atos.

E por que Deus permitiu que tudo isso acontecesse?
V. 27 , 2ª parte: “... cometendo torpeza e recebendo EM SI MESMOS a recompensa que convinha ao seu erro”
Por recompensa, ou paga como se vêm em algumas bíblias entenda-se SALÁRIO.
Romanos 6:23 – “O salário do pecado é a morte”

AIDS

Leia Romanos 12:01 Por Kátia Rizzo