ANOTAÇÕES DA BÍBLIA

Profeta Oséias

Profeta Oséias

                                                 

Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva, a sua vinda é certa; e ele descerá sobre nós como chuva, como chuva serôdia que rega a terra. (Os.6:3)

 

O nome significa: Salvação ou libertação

Autor: obra do próprio profeta

Propósito: Foi revelar o amor de Deus por uma nação pecaminosa e rebelde.

Oséias o profeta do coração quebrantado. O profeta das lamentações Oséias (Norte)

 

Fundo histórico: Oséias mostra a situação histórica de seu ministério através da nomeação dos reis de Judá (Reino do Sul), (Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias), e o rei de Israel (Reino do norte).  (Jeroboão II), que reinou durante o período 41 anos. Estabelece as datas de 755 aC a 715 aC. Oséias(para Israel) escreveu no oitavo século a.C. (segundo as datas dos reinados dos reis mencionados em 1:1), durante a mesma época do trabalho de Amós(para Israel, ) (Amós 1:1), Isaías (para Judá) (Isaías 1:1) e Miquéias (para Judá) (Miquéias 1:1).,    

Embora todas as indicações quanto ao sucesso exterior parecessem positivas a Israel, um desastre vindo por baixo estava se aproximando. Ele fala sobre o povo que se achava bom e próspero, mas estava se apodrecendo por causa da idolatria, a imoralidade e a injustiça..

O povo desse período regozijava-se na paz, abundância e Nesta época a prosperidade dominou em grande proporção a terra e o povo.  Israel experimentou sua época áurea. No sul, Judá estava experimentando algo idêntico, sob o reinado de Uzias.

 

Mas a anarquia estava preparando-se e ela traria o colapso político da nação em alguns curtos anos. Oséias descreve as características das condições sociais de seu tempo: líderes corruptos, vida familiar instável, imoralidade generalizada, ódio entre classes e pobreza. Deus instruiu Oséias a mexer com esta corrupção que fervia com violência e exalava o mau odor em direção a Deus. Até os sacerdotes praticavam atos abomináveis, como assassinato (6:9) O livro de Oséias diz que a infidelidade e decadência andam juntas. Povo sem entendimento (Os. 4:6) Embora as pessoas continuassem uma forma de adoração, a idolatria era mais e mais aceita, e os sacerdotes estavam falhando na tarefa de guiar o povo nos caminhos da justiça. Apesar das trevas desse tempo, Oséias oferece esperança para inspirar seu povo a voltar-se novamente para Deus.

 

Quando Jeroboão morreu os assírios já estavam perturbando Israel. Após várias pré-invasões, trinta anos depois conquistaram o reino do norte. Israel encontrava-se decaída moral e religioso. Seu ministério foi mais ou menos de 38 anos. Duzentos anos antes de Oséias houve as divisões das tribos (Reino do Norte e Reino do Sul).

Oséias viveu nos últimos dias do reino de Israel. Devido a séculos de pecado, o povo estava chegando ao fim. A infidelidade espiritual do povo é comparada ao pecado de adultério. Para conhecer mais esse período da história, leia 2 Reis 14-17 e 2 Crônicas 26-29.

Conteúdo:O livro de Oséias, talvez mais do que qualquer outro livro do Velho Testamento, expõe o coração de Deus.

O Livro de Oséias é a respeito de um povo que tinha necessidade de ouvir sobre o amor de Deus, de um Deus que queria falar com eles e da maneira singular que Deus escolher para demonstrar seu amor a seu povo. O povo pensava que o amor poderia ser comprado (“... mercou Efraim amores”, 8.9), que o amor era uma busca de uma autogratificação (“Irei atrás de meus namorados, que me dão...” 2.5) e que amando objetos sem calor, pudesse conseguir benefícios positivos (“... Se tornaram abomináveis como aquilo que amaram”, 9.10). Deus quis que Israel conhecesse seu amor, um povo que buscou objetos sem valor (“Quando Israel era menino, eu o amei...” 11.1), foi guiado com uma meiga disciplina (“cordas de amor”, 11.4) e que persistiu, apesar de o povo correr e da resistência dele (“Como te deixaria?”, 11.8). O problema era como levar a mensagem de um Deus de amor a um povo que não estava inclinado a dar ouvidos e, provavelmente, não entender, se eles ouvissem. A solução de Deus era deixar o profeta ser seu próprio sermão.

Os primeiros três capítulos descrevem a vida de Oséias. Ele se casa com uma mulher adúltera. Ele sofre com a infidelidade dela, mas ainda mostra a misericórdia para tomá-la de volta. Assim Deus viu a sua noiva, o povo de Israel, se envolvendo com "outros deuses", ou seja, cometendo adultério espiritual. Mesmo depois de tudo que Israel havia feito, Deus teria graça e misericórdia para reconciliar com esta esposa adúltera e estabelecer uma nova aliança com ela. Oséias vive no próprio casamento o que Deus estava passando em relação a Israel. Oséias se casaria com uma mulher impura (“mulher de prostituições”, 1.2), a amaria inteiramente, e dela teria filhos (1.3), e iria atrás dela, e traria de volta quando ela se desviasse (“Vai outra vez, ama uma mulher”, 3.1). Em resumo, Oséias tinha de mostrar seu próprio amor a Gomer, o tipo de amor que Deus tinha por Israel.

Cap.1:2-3. Alguns estudiosos acham que este episódio um drama verídico, portanto outros eruditos acham que tem um significado simbólico O casamento de Oséias com Gômer representa a relação de Deus com Israel.

"Toma uma mulher de prostituições" provavelmente sugere que ela veio de um ambiente de imoralidade, e teria a tendência de se tornar adúltera. Não faz sentido sugerir que Deus mandou que Oséias se casasse com uma prostituta, por vários motivos: 1) Deus sempre incentiva a pureza no casamento; 2) O caso de Gômer é paralelo ao de Israel, que se tornou adúltera depois de "casar" com Deus; 3) O relato comenta sobre três filhos que nasceram depois do casamento, mesmo de adultério, mas não fala de nenhum filho nascido antes do casamento dela com Oséias. "e lhe deu um filho" (1:3) mostra que este primeiro filho era do próprio Oséias.

Jezreel, (Deus semeia ou espalha,chegou a hora da retribuição do castigo) primogênito.

Lo-Ruama (desfavorecida, não amada) filha.

Lo-Ami (não meu - povo). Filhos legítimos de Oséias. Teve outros filhos ilegítimos.

Jezreel, O nome sugere os planos de Deus para Israel: 1) Espalhar o povo no cativeiro, 2) Semear para ele um povo purificado. Jezreel foi a cidade onde moraram alguns dos reis de Israel, e onde Jeú acabou com a casa de Acabe. Deus prometeu trazer castigo sobre a casa de Jeú e fazer cessar o reino e o arco (poder militar) de Israel.

**Obs.: Deus usou Jeú para destruir a casa de Acabe e lhe entregou o reino. Mas, Jeú não se dedicou ao Senhor. Ele imitou os pecados de Jeroboão, filho de Nebate (2 Reis 10:31). Jeroboão II, o rei de Israel quando Oséias escreveu, foi o penúltimo rei da linha de Jeú. Depois da morte dele, Zacarias, seu filho, reinou por seis meses e foi assassinado, terminando o domínio da dinastia de Jeú (2 Reis 15:8-10).

**Obs.: O Vale de Jezreel ou Megido foi o lugar de algumas batalhas decisivas (Juízes 4-7; 2 Reis 23:28-30).

Cap.1:6-7-Gômer concebeu outra vez e teve uma filha. O nome dela (Lo-Ruama-NVI) é traduzido em algumas Bíblias (RA2) como Desfavorecida. Significa "não amada".

**Obs.: Tudo indica que Oséias não foi o pai desta filha de Gômer. Considere: 1) Em contraste com o primeiro ("e lhe deu" - 1:3), aqui diz simplesmente que "deu à luz" (1:6); 2) O nome dela sugere a rejeição pelo marido de Gômer.

Deus explicou o significado profético do nome Lo-Ruama. Ele não mostraria mais favor (graça, misericórdia) à casa de Israel, mas ainda teria compaixão para com Judá. Este seria salvo, não pela força militar, mas pelo poder de Deus (veja o que aconteceu em Isaías 37:36-38).

O terceiro filho de Gômer, outro menino, recebeu o nome de Lo-Ami (NVI) que quer dizer "Não-Meu-Povo" (RA2).

**Obs.: De novo, tudo indica que Oséias não foi o pai desta criança. O nome simbolizava a rejeição de Israel por Deus.

Cap.1:10 e 2:1- A rejeição do povo seria temporária Notamos que estes nomes agora tem um significado diferente,adquirindo sentido contrário.Oséias passa, então, a repetir sem o prefixo”Lo” Jezreel-Grande será o dia Jezreel: Deus reúne (subtendido)

(1:10). Ele não tinha esquecido a promessa de abençoar todas as famílias da terra por meio do descendente de Abraão (Gênesis 12:3).

2) Deus mudaria a sorte do povo: De "Não-Meu-Povo" para "Filhos do Deus Vivo"; De Desfavorecida para Favor.

3) Israel e Judá se uniriam sob uma só cabeça.

Ruama – Favor, minha amada. (restauração)

Ami – Meu povo Tu és meu povo. Esta promessa encontra-se no futuro.

Jezreel - também chamado vale do Megido (Zc. 12:11)designado pelos gregos com o nome de Esdreelom..Esse lugar foi cenário de batalhas importantes na história de Israel (Jz.4:7;IIRs.23:28-30;Apc.16:16)

**Obs.: 1 Pedro 2:10 cita esta mudança de nomes para mostrar as bênçãos espirituais recebidas pelo povo espiritual da Nova Aliança. Os cristãos são os filhos do Deus Vivo favorecidos por ele. Jesus é o único, cabeça deste povo (Efésios 1:22-23).

Cap.3:1-5 -Este pequeno capítulo completa a figura da vida familiar de Oséias.Deus mandou que Oséias tomasse de volta a sua esposa adúltera. Gomer abandona Oséias para buscar o amor de outros homens. Ainda que Gomer tenha errado, Oséias parte em busca e a compra no mercado de escravos. A despeito de tudo ele a ama.

(Assim como Gomer era infiel ao seu esposo, Israel também se tornara infiel a Deus. Como Gomer, podemos procurar outros prazeres. As tentações deste mundo podem ser muito sedutoras. Gomer foi comprada, sendo assim libertada da escravidão. Jesus nos comprou com o preço da sua vida).

 Oséias obedeceu, comprando de volta a sua mulher. É calculado que o valor pago aqui equivale o valor de uma escrava (veja Êxodo 21:32).

Oséias e Gômer não voltaram imediatamente a ter relações conjugais. Ele esperou para ver se ela realmente ficaria longe dos amantes.

Cap.4 a 14. No capítulo 4, a mensagem deixa a família de Oséias (embora continue como pano de fundo da mensagem do resto do livro), e Deus volta a falar sobre sua relação com o povo de Israel.

 Israel adora falsos ídolos e Deus não se agrada. Oseías avisa que o povo de Israel será preso e levado cativo para Assíria

Deus claramente culpou os sacerdotes por não ter guiado o povo no caminho dele. Hoje, muitos líderes religiosos não mostram um compromisso sério e absoluto com a palavra de Deus. Torcem a mensagem e aceitam práticas, tradições e doutrinas erradas para manter suas posições nas denominações. Tais pessoas receberão a condenação de Deus. Por outro lado, muitos adeptos das mesmas igrejas se contentam em ser "boas ovelhas", seguindo a liderança de outros sem questionar. Apaziguam a consciência com a idéia que os pastores são os responsáveis; não cabe aos seguidores decidir o que fazer. Que engano perigoso! Neste texto, os líderes erraram, mas o povo estava sendo destruído! Jesus disse: "Ora, se um cego guiar outro cego, cairá ambos no barranco" (Mateus 15:14)..

 

Cap.4:16 Israel é comparada a uma vaca rebelde.Vaca  difícil de controlar e conduzir, precisa tornar-se cordeiro.

 

Cap.6:3 – Oséias recomenda que: Conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor .

Cap.7e 8, Oséias prega contra os líderes corruptos de Israel.

Cap.7:8-16 – Efraim é um pão Não-Virado – Os judeus assavam seus pães em um forno rústico.Primeiro assava um lado depois viravam e assavam o outro lado.Se não virar um lado ficava queimado e o outro cru. Israel não percebia seu estado espiritual péssimo. Misturava-se com os povos (gentios, pagãos) e não percebia que era "um pão que não foi virado". Ele estava se envelhecendo, com a cabeça cheia de cabelos brancos, e não sabia que seu fim se aproximava (8-9).

 

Cap.7:13-15:Temos aqui 7 acusações de Deus aos pecados: (Efraim)

1 – Fugiu de Deus (v.13)

2 - Transgrediram contra Deus (v.13)

3 – Mentiram para Deus (v.13)

4 – Não chamaram pelo Senhor em seu coração (v.14)

5 - Reuniram-se para o vinho e o trigo, mas não para Deus (v.14)

6 – Rebelou - se contra Deus (v.14)

7 – Maquinavam contra Deus (v.15)

Cap 8:1-6 - A trombeta soa o alarme! O castigo divino vem sobre o povo por causa da sua rebeldia (veja Ezequiel 33:1-3).

Mas Deus não seria enganado. Israel merecia o castigo (3-6). Entre os pecados deles:

1) Rejeitar o bem.2) Estabelecer seus próprios reis e príncipes, não os de Deus.3) Fazer ídolos.4) Mostrar-se incapazes da inocência/pureza

**O bezerro de Samaria refere-se ao bezerro de ouro erigido por Jeroboão I, o símbolo da idolatria do reino do Norte (veja 1 Reis 12:25-33). Nenhum ídolo, sendo meramente obra de artífice, pode se comparar a Deus (veja Isaías 44:1-20).

**Obs.: Incapazes da inocência. Este povo, depois de séculos de rebeldia, ficou cauterizado e endurecido no pecado. Perderam a inocência da juventude e se mostraram resistentes à verdade. É extremamente difícil desenvolver de novo a pureza que deve caracterizar o servo do Senhor. Ezequiel desafiou o povo com a mesma idéia, dizendo que precisavam criar dentro de si um coração novo (Ezequiel 18:31). Tal transformação é possível somente pelo poder de Deus (Ezequiel 36:26; Salmo 51:10).

Cap 8:7-14 -"Semeiam ventos e segarão tormentas" . É bem estabelecido e conhecido o princípio de Deus que o homem ceifará o que semeia (Gálatas 6:7). Aqui, Deus mostra que o pecado do povo traria uma conseqüência maior do que imaginavam.Efraim pecou contra Deus, multiplicando altares.

**Obs.: No Velho Testamento, Deus autorizou um lugar para manter o altar dele e fazer sacrifícios (Deuteronômio 12:1-14). Eles multiplicaram altares, voltando à idolatria que os antigos habitantes da terra praticavam. Se Deus expulsou aquelas nações por tal prática, claramente expulsaria Israel da terra.

(12-14): A atitude do povo em relação aos mandamentos de Deus. 1) Não deram a mínima importância às leis de Deus.2) Fizeram sacrifícios, não para agradar a Deus, mas porque gostavam da carne.3) Esqueceram de Deus e confiaram nas obras do homem.

(13-14): A atitude de Deus em relação ao povo pecaminoso 1) Não aceita os sacrifícios egoístas deles.2) Lembra-se das iniqüidades deles.3) Castiga o pecado.4) Manda o povo para o Egito (representando o cativeiro na Assíria - veja 11:5).5) Envia fogo contra as cidades e palácios de Israel.

**Obs. Adoração egoísta? Parece impossível? O povo de Israel fazia sacrifícios porque eles gostavam da carne, não para agradar a Deus. Quantas pessoas hoje "adoram" a Deus porque elas gostam da música e de outros aspectos do "louvor"? Será que a nossa adoração pode tornar-se egoísta?

No cap.10:1-4 A prosperidade de Israel deveria ter incentivado o povo a se aproximar mais de Deus em gratidão. Mas eles fizeram o oposto. Quanto mais foram abençoados por Deus, quanto mais correram atrás dos ídolos .

**Obs.: Uma das ironias que observamos na História é esta tendência de pessoas prósperas não confiarem em Deus. Ele abençoa, mas a pessoa usa a prosperidade para seus próprios prazeres e não glorifica a fonte de todas as boas dádivas (Mateus 19:23-24).

Quando a Assíria os levou cativos, o bezerro os acompanhou. Levam-no como presente para o rei assírio.

 

Cap. 11:3 -(eis uma direção, passo a passo) Todavia, eu ensinei a andar a Efraim; tomei-os pelos meus braços,mas não conheceram que eu os curava

 

Cap. 11:4  - Eis um conselho maravilhoso “Atraí-os com cordas humanas, com laços de amor...” LAÇOS DE AMOR. Percebe-se a solicitude de Deus pelo modo como Ele atrai os seus com cordas de bondade e laços de amor e compaixão. Como Pai e Médico cuidam de seus filhos, curando-lhes as enfermidades, e guiando-os em todo o caminho. Os israelitas, porém, não reconheciam o seu amor, e desprezavam suas bênçãos. Devemos ser continuamente gratos pelo amor de Deus. Esforcemo-nos por cultivar corações agradecidos, que amem realmente a Deus. Também, devemos com o nosso irmão estar como cordas humanas, lado a lado um do outro, e laços de amor. Orando sempre uns pelos outros e se cair, lembremos que estamos atados um ao outro, vamos orar e ajudar a se levantar.

 

Cap.12 e 13 - Vemos a ruína de Israel.

Cap.12: 3-10 - Jacó, o nome original de Israel, representa aqui o povo que descendeu dele, dividido na época de Oséias em dois reinos: Israel e Judá. Jacó era irmão de Esaú e pai dos 12 filhos que se tornaram pais das tribos de Israel.

Jacó, o homem, contendeu com os outros durante a vida toda. Antes de nascer, lutou com o irmão, Esaú (Gênesis 25:26). Jacó continuou tentando ganhar vantagem sobre os outros por meio de engano, até lutando com o próprio Deus (veja Gênesis 32:24-30). Afinal, Jacó encontrou Deus em Betel, o mesmo lugar onde o povo abandonou o Senhor com a idolatria de Jeroboão I. Deus pediu que o povo voltasse para ele.

Observe alguns aspectos da verdadeira conversão: 1) O objeto é o Senhor. 2) A conversão envolve o amor, o juízo (obediência à vontade de Deus) e a esperança nele.

Efraim usou uma balança enganosa e amou a opressão, ou seja, praticou a desonestidade e abusou outros nos seus negócios. Mesmo assim, o povo negou a sua culpa, achando que se enriqueceu pela própria esperteza. Jacó, o homem, fugiu para a terra da Síria e praticamente se tornou escravo para ganhar a sua mulher , mas Deus trouxe Israel, o povo, da escravidão no Egito e lhe deu a terra prometida .

**Obs.: Observe os contrastes aqui. Jacó fugiu da terra; Israel foi conduzido à terra. Jacó entrou na escravidão; Israel saiu da escravidão. Jacó cuidou do gado do outro; Israel foi guardado pelo profeta de Deus (Moisés).

Ao invés de servir a Deus com gratidão, o povo provocou o Senhor à ira. O povo teria que pagar pelo sangue derramado na terra.

**Obs.: Israel tinha pouco tempo, mas não percebeu a iminência do julgamento (veja 7:9). Nós, também, temos pouco tempo e devemos nos preparar para o julgamento (Tiago 4:14; Hebreus 9:27).

Cap.14 - A restauração de Israel. Observamos as condições requeridas para restauração do povo:

“Tende convosco palavras de arrependimento... e em vez de novilhos os sacrifícios dos nossos lábios (14:2)    Interessante é como Oséias se usa “nossos”. O profeta está querendo colocar na boca dos judeus palavras dignas de arrependimento. Ele se une a eles não por ter se rendido a Baal,mas para levar o povo à uma decisão correta.Ele deseja que eles percebam que a salvação não vem por meio de alianças com Assíria nem pelas forças militares, nem pelos ídolos inúteis, e sim, só alcançarão misericórdia de Deus quando voltarem contritos e sinceros para o Senhor.        

Israel é levado cativo. Eles estão dispersos até hoje, mas não continuará assim para sempre. O senhor prometeu retorno através de seus profetas. O tempo e a hora só Deus sabe.

 

Cap.14 v.4 e 5 - Eu sararei a sua perversão, eu voluntariamente os amarei; porque a minha ira se apartou deles. Eu serei, para Israel, como orvalho; ele florescerá como o lírio e espalhará as suas raízes como o Líbano. Temos aqui três coisas que Deus prometeu fazer: Sarar, Amar e ser o orvalho.

 

Cap. 14:5 ,6 –Eis aqui promessas: Eu voluntariamente os amarei. Depois de os israelitas terem suportado o castigo, Deus os curaria e os restauraria plenamente, cuidando deles assim como um pai cuida de seus filhos. Seriam caracterizados por um novo modo de vida, belo e puro como o lírio; tal como os cedros do Líbano, o povo seria forte, altamente estimado e profundamente arraigado na Palavra de Deus. Todas as figuras de linguagem nestes versículos demonstram quão precioso será para Deus o povo restaurado.

Crescimento como o lírio (florescerá)

Enraizamento (raízes do Líbano, como cedro do Líbano)

Crescimento para os lados: seus ramos se estenderão

Seu esplendor como a oliveira, com fragrância, sua fama (glória), sua sombra.

A misericórdia de Deus nunca falha

 

Oséias faz o apelo final

 “Quem é sábio que entenda estas cousas, quem é prudente que as saiba, porque os caminhos do Senhor são retos, e os justos andarão neles, mas os transgressores neles cairão.” (14:9) A verdadeira sabedoria inclui entender a Deus e seus caminhos; se expressa através de um modo de vida de acordo com os padrões de retidão divinos A sabedoria na Bíblia não é a simples posse de talentos intelectuais; ela é prática, e inclui um bom relacionamento com o Senhor. O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria; (Pv. 1:7)

O Espírito Santo em Ação:O Livro de Oséias ensina duas notáveis lições a respeito do Espírito Santo: 1) É importante depender da presença do Espírito e 2) coisas negativas acontecem quando o Espírito está longe de uma vida.

Uma vez Oséias usa a frase “o espírito de luxuria”, e uma vez, “o espírito da prostituição” (4.12; 5.4), e conta as conseqüências de ser preenchido com um espírito impuro. Como Paulo em Efésios, Oséias relaciona tal espírito com o vinho, que escraviza o coração. Esse espírito de luxuria também faz as pessoas se desvirem para falsos caminhos e falas adorações, em contraste com o ES, que nos guia para caminhos verdadeiros e para a verdadeira adoração (4.11-13; Ef 5.17-21).

Leia>>>>>Profeta Joel